terça-feira, 15 de agosto de 2017

Lula defende permanência de Maduro no poder


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) defendeu nesta terça-feira (15) a permanência de Nicolás Maduro no poder na Venezuela.




Em evento realizado no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), o petista afirmou que Maduro pode não ter "a eloquência e o charme" do ex-presidente venezuelano Hugo Chávez, mas ele não pode sofrer a ameaça de uma intervenção militar do governo norte-americano, como sugeriu nesta semana Donald Trump, presidente dos EUA.

Leia também:
Governo anuncia nova meta fiscal para 2017, de R$ 159 bilhões
Não há previsão para rediscutir prisão após 2ª instância, diz Cármen Lúcia

"O "Seu Trump" precisa aprender que a gente não resolve conflitos políticos com armas, mas com diálogo, conversa, acordos", disse a uma plateia de argentinos e brasileiros no começo da noite desta terça.

Na última sexta (11), o presidente dos EUA afirmou que o país tem "tropas no mundo todo" e que "a Venezuela não está muito longe", insinuando uma ameaça de intervenção militar.

Foi a primeira vez que Lula saiu em defesa de Maduro desde o agravamento da crise política na Venezuela. Antes dele, a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), já havia manifestado apoio público ao regime bolivariano do país sul-americano.

"Seja qual for o erro que o Maduro tenha cometido, nós queremos que ele acerte", disse Lula durante lançamento do Instituto Futuro, mantido pela Umet (Universidade Metropolitana para a Educação e o Trabalho) de Buenos Aires, em parceria com o Ciasco (Conselho Latino Americano de Ciências Sociais).

Lula foi escolhido para ser patrono do instituto e não economizou no "portunhol" durante o evento. Enalteceu a realização do evento no sindicato do ABC. "Aqui não é sindicato de "San Paolo", falou.

Pré-campanha no Nordeste

A dois dias de iniciar sua viagem de pré-campanha pelo Nordeste, Lula afirmou nesta noite que assim como na América Latina, "a política aqui no Brasil está complicada". "A política está judicializada e o Judiciário está politicado", disse ele, que foi condenado a 9 anos e meio de prisão pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela primeira instância da operação Lava Jato em Curitiba, na ação do tríplex no Guarujá (SP).

Lula começa nesta quinta-feira (17) uma caravana por 28 cidades nordestinas em 20 dias. Ao UOL, o petista afirmou que está "preparado" para encarar o roteiro que será feito em ônibus. "Estou vivendo um momento de muita intensidade e de muito preparo físico para aguentar os 20 dias."

A viagem terminará em 5 de setembro, a oito dias do novo depoimento que prestará ao juiz federal Sérgio Moro, na ação penal relativa ao terreno supostamente doado pela empreiteira OAS para sediar o Instituto Lula.

Veja também: 




Daniela Garcia
UOL
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...