terça-feira, 15 de agosto de 2017

‘Não estou nem aí’, diz juiz que recebeu R$ 503 mil em julho


Imagem: Reprodução / Facebook
O juiz Mirko Vincenzo Giannotte, titular da 6ª Vara de Sinop (MT), cidade a 477 quilômetros de Cuiabá, recebeu em julho mais de meio milhão de reais, precisamente R$ 503.928,79, em salário. O magistrado disse que “não está nem aí” com a polêmica em torno de seu contracheque e que o pagamento “é justo, dentro da lei”.



Em valores líquidos, o holerite do juiz ficou em R$ 415.693,02. O dinheiro caiu na conta de Mirko no dia 20 de julho, data de seu aniversário de 47 anos. “Foi um belo presente, uma coincidência”, declarou o magistrado ao jornal O Globo. Os dados constam no Portal da Transparência do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

Leia também: 
Comissão da Câmara aprova fundo de R$ 3,6 bilhões e 'distritão'
Julgamento de chapa Dilma-Temer foi ‘papelão’, diz procurador da Lava-Jato
PT na Assembleia de São Paulo dá emprego a acusados por desvios no Museu do Trabalhador
Prisão após condenação em segunda instância é essencial contra 'barões da corrupção', diz Moro
‘Eleições precisam ser barateadas’, diz Barroso
Procurador diz que Joesley omitiu crimes cometidos no BNDES
As pessoas perdem a fé na democracia quando veem que a trapaça é regra e permanece impune, diz Moro
Ator Fábio Assunção anuncia que vai se filiar ao PT e vira piada: 'carreira longa ao novo filiado'
Juiz recebeu em julho meio milhão de salário
Na operação Hammer On, PF e Receita cumprem 153 mandados em cinco estados
PF cumpre mandados do STJ na sede do governo do RN e na casa do governador do estado

Réu em 6 processos, Lula volta a atacar o juiz Sergio Moro com baixaria

O rendimento foi excepcional porque embutiu o pagamento de diferenças relativas a períodos em que o magistrado atuou em instâncias superiores, substituindo outros magistrados, sem ter recebido a diferença relativa à substituição. Em junho, por exemplo, Giannotte recebeu R$ 53.432,92 líquidos – o valor bruto foi de R$ 65.872,83. Segundo a Coordenadoria de Comunicação do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT), o pagamento das diferenças em julho foi autorizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Ao jornal O Globo o magistrado declarou que o valor representa “justa reparação” pelos anos em que deu expediente em comarcas superiores, recebendo subsídios como juiz de primeira instância. “Eu não tô nem aí. Eu estou dentro da lei e estava recebendo a menos. Eu cumpro a lei e quero que cumpram comigo”, afirmou.

Em suas contas, ele ainda tem a receber outros passivos acumulados que, segundo ele, chegam a R$ 750 mil. “O valor será uma vez e meia o que eu recebi em julho. E, quando isso acontecer, eu mesmo vou colocar no Facebook”, disse Giannotte, que afirmou ser “famoso” por trabalhar até de madrugada.


Veja também: 




Veja
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...