sexta-feira, 3 de novembro de 2017

'Preconceito contra a mulher PM tá liberado, não é mesmo, feministxs?', questiona juíza


Imagem: Produção Ilustrativa / Gazeta Social
A juíza Ludmila Lins Grilo questionou por que o movimento feminista não defendeu a policial militar que foi impedida de entrar na sala de aula e fazer uma prova por estar fardada. A juíza questionou: "Professora lacradora da UEPB que impediu aluna PM fardada e armada de fazer prova é o retrato da sororidade? Cadê o movimento feminista para defender o direito da mulher trabalhadora que foi impedida de exercer um direito apenas por estar com sua roupa e instrumento de trabalho? Ou sororidade é só para as manas?".


A juíza verificou a identidade da professora que impediu a entrada da aluna PM e voltou a questionar: "Em simples pesquisa pelo nome da professora Alana Lima de Oliveira no Google - aquela que impediu uma aluna PM de fazer prova fardada e armada na UEPB - descobre-se que é membro da Comissão de Diversidade Sexual e Gênero da OAB/PB, e que sua tese de mestrado foi...DIREITO DAS MULHERES. Está claro que feminismo e sororidade são só para as manas, preconceito contra a mulher PM tá liberado, não é mesmo, feministxs?".

Leia também: 

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...