sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Contador muda versão sobre recibos de apartamento usado por Lula


Imagem: Reprodução / Youtube
O contador João Muniz Leite mudou, em depoimento à Justiça nesta sexta-feira (15), sua versão sobre como recebia os recibos de pagamento do aluguel de um apartamento usado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em São Bernardo do Campo (SP). O MPF (Ministério Público Federal) questiona a veracidade dos documentos que comprovariam a locação do imóvel, que faria parte de uma propina paga pela Odebrecht ao político --o que sua defesa nega.



Em declaração divulgada no fim de setembro, cuja autenticidade foi confirmada pelo próprio Leite no depoimento, o contador informou que recebia "periodicamente" os recibos correspondentes aos aluguéis de 2011 a 2015 "das mãos" do engenheiro Glaucos da Costamarques, que é o dono do apartamento no papel e teria atuado como "laranja" na transação. Segundo a declaração, os aluguéis eram pagos pela ex-primeira-dama Marisa Letícia, que morreu em fevereiro. 

Leia também: 

Já no depoimento de hoje, Leite disse que se enganou ao falar sobre como tinha acesso aos recibos. O contador relatou que só recebeu diretamente de Costamarques recibos correspondentes aos aluguéis de 2014 e 2015.

"Na verdade, eu não recebia os recibos, eu recebia a informação para a elaboração dos carnês [carnês-leão]", declarou Leite sobre o período anterior a 2014. "Eu me equivoquei nesse ponto aí."

Leite confirmou que fez as declarações de Imposto de Renda de Lula e Marisa Letícia entre os anos-calendário de 2011 e 2015 a pedido do advogado Roberto Teixeira, que tem um contrato com seu escritório de contabilidade e é amigo de Lula há anos. O serviço não foi cobrado do ex-presidente, disse.

O contador também falou que prestou "consultoria contábil" a Costamarques gratuitamente por ter se tornado amigo do engenheiro, que foi sócio de uma empresa para a qual prestou serviços anteriormente.

A empresa em questão é a Bilmaker, na qual Costamarques era sócio de dois amigos de Luís Cláudio Lula da Silva, um dos filhos do ex-presidente. Em um contrato de 2009, Costamarques chegou a dar a Luís Cláudio a opção de compra de sua parte na companhia.
Recibos assinados no hospital

Leite reafirmou que foi ao hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, em dezembro de 2015 para que Costamarques assinasse recibos de pagamento dos aluguéis. Segundo o contador, foram assinados "14 ou 15 recibos" referentes a aluguéis dos anos de 2014 e 2015.

Questionado sobre a urgência de levar os recibos para assinatura enquanto Costamarques estava internado, Leite disse que isso foi necessário porque o engenheiro não morava em São Paulo e, após a internação, voltaria para o Mato Grosso do Sul, onde vive.

"Era a oportunidade que eu tinha de ter a assinatura nos recibos e ficar com a documentação completa", afirmou.

Leite negou relação da urgência para a assinatura dos recibos com a prisão do pecuarista José Carlos Bumlai, que é primo de Costamarques e amigo de Lula, ocorrida em novembro de 2015.



Veja também: 








Bernardo Barbosa
UOL
Editado por Política na Rede 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...