sábado, 16 de dezembro de 2017

'Ministra escrava' tentou recorrer à Procuradora-Geral para receber supersalário de R$ 61 mil


Imagem: TCE - BA
Com o pedido negado pela Casa Civil, a ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, tentou recorrer à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para receber o pagamento pelos cofres públicos de pelo menos R$ 300 mil.


Em solicitação, cuja cópia foi obtida pela Folha por meio da Lei de Acesso à Informação, a ministra requereu ao presidente Michel Temer que consultasse a procuradora-geral e a ministra-chefe da AGU (Advocacia-Geral da República), Grace Mendonça, sobre a solicitação.

Leia também: 


O pedido foi enviado no dia 16 de outubro, 13 dias após ela ter solicitado o recebimento de valor retroativo da quantia que foi abatida pelo teto constitucional do acumulado de seu vencimento integral com a aposentadoria de desembargadora pela Bahia.

Procurada pela reportagem neste sábado (16), a PGR (Procuradoria-Geral da República) afirmou que não tinha condições de responder se o pedido chegou a ser encaminhado pela Presidência da República e que faria essa verificação na segunda (18). A assessoria de imprensa da ministra não respondeu à reportagem.

Após a polêmica, Luislinda desistiu em novembro de todo o procedimento. Na solicitação, ela alegava que o trabalho executado sem a correspondente contrapartida "se assemelha a trabalho escravo".

O episódio desgastou sua imagem, o que levou o presidente a procurar uma substituta para ela. Na última quinta-feira (14), na tentativa de ter uma sobrevida no posto, ela pediu para se desfiliar do PSDB, já que o partido a pressionava a deixar a pasta.

A decisão, contudo, não mudou a situação de Luislinda, que deve ser trocada. Temer quer indicar alguém que tenha o respaldo da bancada feminina, na perspectiva de garantir votos para a reforma previdenciária.

Ele deve se reunir na próxima semana com deputadas da base aliada para discutir opções. No Palácio do Planalto, são citados os nomes de Soraya Santos (PMDB-RJ), Rosângela Gomes (PRB-RJ) e Tia Eron (PRB-BA).

Veja também: 







Gustavo Uribe
Folha de S. Paulo
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...