sábado, 20 de janeiro de 2018

Vice-presidentes exonerados da Caixa por suspeita de corrupção receberão R$ 39,8 mil por mês por até dois anos


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Os quatro executivos afastados da vice-presidência da Caixa Econômica Federal não têm do que reclamar. Deusdina dos Reis Pereira, Roberto Derziê de Sant’Anna, José Henrique Marques da Cruz e Antonio Carlos Ferreira vão receber, por até dois anos, algo como R$ 39,8 mil por mês de seguro. Eles são funcionários de carreira do banco.




Esse benefício foi  ampliado em dezembro de 2016, no apagar das luzes. Até então, o seguro para ex-dirigentes que são empregados de carreira da Caixa era de, no máximo, seis meses.

Leia também: 
Militante comunista que disse que ia 'estourar cabeças de juízes e coxinhas' diz à PF que é 'contra a violência'

O seguro não se restringe aos funcionários nomeados para cargos executivos. Garante, também, remuneração de R$ 34.860 para diretores executivos, jurídicos e gerais do banco estatal e de suas subsidiárias quando deixarem os cargos. Os presidentes e vice-presidentes terão direito a receber seguro de R$ 39.837 por até 24 meses após a dispensa.

A medida despertou a ira dos demais empregados da Caixa, que podem receber o benefício somente por até oito meses. O “asseguramento”, como o benefício é chamado no banco, é garantido ao trabalhador concursado que é dispensado de função gratificada ou de cargo comissionado.

O valor assegurado para presidentes e vice-presidentes corresponde ao topo da carreira administrativa. Os R$ 39.837 são atualmente pagos ao chefe de gabinete da Presidência da Caixa e ao coordenador-geral de Programas Estratégicos de Governo.

Já os R$ 34.860 são garantidos ao secretário-geral, ao consultor-chefe da Presidência e ao Superintendente-Nacional. O benefício também vale para os empregados da Caixa que são dirigentes, por exemplo, do Banco Panamericano, da Caixa Crescer, da Caixas Seguros, da PAN Corretora, do Cartão Elo e da Funcef, o fundo de pensão dos trabalhadores da instituição financeira.

Para receber o benefício por até dois anos, os dirigentes terão de ter trabalhado por pelo menos quatro anos no mesmo posto. A norma determina que o executivo terá direito a receber por 50% do tempo em que esteve na função, limitado a 730 dias.

Veja também:






Antonio Temóteo
Blog do Vicente
Correio Braziliense
Editado por Política na Rede 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...