sábado, 24 de fevereiro de 2018

Tribunal de Justiça do DF nega prisão domiciliar para Maluf


Imagem: Givaldo Barbosa / O Globo
A Terceira Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF) negou, nesta quinta-feira, um pedido da defesa do deputado afastado Paulo Maluf (PP-SP) para que ele fosse para a prisão domiciliar.

Os desembargadores entenderam que Maluf tem condições de continuar no Centro de Detenção Provisória (CDP) da Penitenciária da Papuda, em Brasília, mesmo sofrendo de diversos problemas de saúde.

Leia também: 
Moro ordena nova perícia sobre sistemas de propina da Odebrecht, agora na ação do sítio de Atibaia

Em nota, o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, afirmou que respeita a decisão, mas disse que irá recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ressaltou a "enorme preocupação com o estado lamentável de saúde" do parlamentar.

Kakay disse que Maluf não tem acesso a fisioterapia dentro da prisão, porque a profissional está de férias, e disse que é possível que ele perca os movimentos.

"Vamos recorrer da decisão ao STJ por acreditar que o tratamento que esta sendo dado ao Dr Paulo é inconstitucional, ilegal e desumano", escreveu o advogado.

Maluf está preso desde o dia 20 de dezembro, após ter sido condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a sete anos, nove meses e dez dias de prisão, por lavagem de dinheiro. O pedido de prisão domiciliar já havia sido negado em janeiro pelo juiz Bruno Aielo Macacari, da Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal.

Na segunda-feira, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afastou o deputado do seu mandato e convocou seu suplente, Junji Abe (PSD-SP).

Veja também: 






O Globo
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...