quinta-feira, 21 de junho de 2018

Não farei acordo com o diabo para ter tempo na TV, diz Bolsonaro no Maranhão


Imagem: Fernando Moreno / Futura Press
O pré-candidato à presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, visitou a capital maranhense nesta quinta-feira (14) e afirmou que não irá em busca de partidos para formar legenda para aumentar seu tempo de TV no horário eleitoral.

"Não farei acordo com o diabo para ter tempo de TV", disse. Para o deputado, sua maior mídia de campanha é a da internet. "Propaganda hoje é feita com isso aqui [mostrando um celular]. Tivemos o exemplo nos Estados Unidos, ninguém acreditava no Trump, mas ele ganhou".

Leia também: 

Bolsonaro foi recebido por simpatizantes e por membros de seu partido no Sebrae, seguido de um jantar com entidades empresariais em um bufê na zona nobre da cidade. 

Sobre as pesquisas eleitorais, Bolsonaro voltou a falar sobre o resultado mais recente da pesquisa Datafolha, na qual aparece com 19% das intenções de voto em um cenário sem o ex-presidente Lula como candidato.

"Pesquisas no Brasil estão sob suspeitas. Pesquisas no Brasil, como regra, sempre foram usadas para ganhar voto. O eleitor que não gosta de falar, muitas vezes (ele diz) 'não vou votar no cara que está perdendo', aí vota no cara só porque está na frente". E voltou a criticar o Datafolha: "Nós carecemos no Brasil de uma fonte de pesquisas confiável". 

A vista ao Maranhão teve como objetivo firmar o apoio à candidata ao governo do Maranhão, sua colega de partido, Maura Jorge. Para ambos, o apoio serviria como prova de que Bolsonaro não é misógino ou xenofóbico. "Para acabar com o factoide, ele escolheu uma mulher, nordestina e maranhense para apoiar no Maranhão", afirmou Jorge, ex-prefeita do município de Lago da Pedra e deputada estadual por quatro vezes.

Para os fãs que gritavam "mito", o presidenciável declarou que é o candidato da direita, o diferente e que pretende tirar os comunistas do poder. "As pessoas querem alguém que ame a sua pátria, alguém que afaste o comunismo. O Maranhão, a partir de 2019, não será mais governado por comunistas", disse o deputado -o estado é comandado por Flávio Dino, do PCdoB.

Veja também:




Tayna Abreu
Folha de S. Paulo
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...