terça-feira, 31 de julho de 2018

Metade dos professores do País não recomendam profissão por julgá-la desvalorizada


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Metade dos professores brasileiros não recomenda a própria profissão por considerá-la desvalorizada. Além disso, cerca de 29% dos docentes precisam fazer trabalhos extras para complementarem a renda.

Leia também: 
Cármen deixará para colegas decisão final sobre reajuste para ministros
Partido de João Amoêdo rejeita convite de Janaína para uma aliança já no primeiro turno

Os dados são da pesquisa “Profissão Docente”, iniciativa do Todos Pela Educação e do Itaú Social realizada pelo Ibope Inteligência em parceria com a Conhecimento Social.

O levantamento entrevistou mais de dois mil professores da Educação Básica do ensino público e privado de todo o país.

De acordo com o gerente de Políticas Educacionais do Todos pela Educação, Gabriel Corrêa, o estudo revela que menos de 30% dos entrevistados acreditam que estão preparados para a sala de aula assim que saem da faculdade. Gabriel Corrêa também explica a necessidade de mudanças nas políticas voltadas aos professores.

De acordo com a pesquisa, 69% dos entrevistados afirmam que a formação continuada é muito importante para a carreira. Além disso, os mestres também acreditam que a restauração da autoridade, o respeito à figura do professor e um salário melhor são fundamentais.

Mais da metade dos professores ainda disse que a consulta dos docentes para a formulação de políticas educacionais é uma das medidas mais importantes para a valorização da carreira.

A professora Mirelly Queiroz acha importante essa consulta, e afirma que mesmo com todos os problemas, indicaria a profissão.

Mirelly dá aulas em um colégio particular da zona sul de São Paulo, já o professor Fernando Moraes é coordenador pedagógico em uma escola estadual da zona leste.

Mesmo com a má remuneração e problemas de infraestrutura, ele se sente motivado e defende um ensino mais humanizado. Para Fernando Moraes, a profissão deve ser valorizada e os gestores públicos precisam saber o que acontece dentro das salas de aula.

Os professores entrevistados para a pesquisa afirmam que falta continuidade de boas políticas, principalmente por causa da mudança de gestores municipais e estaduais.

Com as eleições próximas, o apelo é para que ouçam mais as necessidades das escolas e prossigam com projetos que mostram bons resultados.

Veja também:




Jovem Pan
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...