sexta-feira, 24 de agosto de 2018

XP/Ipespe: sem Lula, Bolsonaro e Marina lideram disputa eleitoral


Imagem: Daniel Teixeira / Estadão Conteúdo
A nova pesquisa Ipespe, divulgada a clientes da corretora XP Investimentos nessa sexta-feira, 24, mostrou uma repetição dos cenários registrados ao longo desta semana, com o deputado Jair Bolsonaro (PSL) e a ex-senadora Marina Silva (Rede) ocupando as primeiras posições nas simulações que desconsideram o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), inelegível pela Lei da Ficha Limpa, como candidato. Bolsonaro registrou 23% das intenções de voto, enquanto Marina apareceu com 12%.


Com uma margem de erro acima dos padrões usuais – 3,2 pontos percentuais, para mais ou para menos –, aparecem tecnicamente empatados com Marina pela segunda posição os candidatos Geraldo Alckmin (PSDB) e Ciro Gomes (PDT) com 8% e Fernando Haddad (PT), com 6%. Alvaro Dias (Podemos) registrou 5% das intenções de voto. João Amoêdo (Novo) e Henrique Meirelles (MDB) apareceram com 2%, Cabo Daciolo (Patriota), Guilherme Boulos (PSOL) e João Goulart Filho (PPL) registraram 1%. Vera Lúcia (PSTU) e José Maria Eymael (DC) não alcançaram 1%.

Leia também: 

Todos os candidatos, no entanto, seguem perdendo para o “não-voto”. Brancos, nulos e indecisos somaram 29% no cenário, segundo o levantamento. Todas as oscilações na pesquisa, que é divulgada semanalmente, aconteceram dentro da margem de erro.

‘Apoiado por Lula’

Depois de apresentar essa simulação, a XP/Ipespe propõe outra, em que o ex-prefeito aparece como “Fernando Haddad apoiado por Lula”. Nesse cenário, ele passa de 6% para 13% e supera os demais empatados pela segunda posição. Nesse cenário, com um direcionamento maior dos eleitores do ex-presidente, os candidatos que mais caem são Bolsonaro (de 23% para 20%) e Marina (de 12% para 9%), ambos, portanto, com oscilação de três pontos percentuais.

Apesar disso, a pesquisa também registra uma queda no índice de eleitores de Lula que migrariam para Haddad. Antes, eram 44% dos apoiadores do ex-presidente. Nesta semana, são 32%, sem nenhum relevante fato novo que possa explicar a oscilação, ocorrida depois de um período de alta no levantamento anterior. Em contrapartida, cresceu o índice daqueles que passariam a votar nulo (de 25% para 36%).

Em um cenário em que Lula seria autorizado a concorrer, ele lideraria a pesquisa, com 32% das intenções de voto, seguido de Bolsonaro (20%), Ciro Gomes (7%), Alckmin (7%), Marina (7%), Alvaro Dias (4%), João Amoêdo (2%), Cabo Daciolo (1%), Henrique Meirelles (1%). Os demais não pontuam. Brancos, nulos e indecisos somam 18%.

Segundo turno

Em uma particularidade desta pesquisa, feita por telefone, Jair Bolsonaro se sairia melhor no segundo turno do que o registrado no Datafolha, quando ele só se daria melhor contra Fernando Haddad. Nos resultados, ele só perderia fora da margem de erro em um embate contra o ex-presidente Lula, por 45% a 33%.

Ele aparece na frente nos confronto contra o ex-prefeito (38% a 32%) e Geraldo Alckmin (34% a 33%), equivalente a Ciro Gomes (ambos com 32%) e derrotado dentro da margem por Marina (37% a 33%). No caso de uma disputa entre Alckmin e Ciro, melhor para o tucano (33% a 28%), mas também dentro da oscilação possível prevista.

Veja também:




Guilherme Venaglia
Veja
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...