quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Porta-voz de Bolsonaro aponta indícios de envolvimento de ONGs em queimadas e dá resposta à altura a jornalista



O porta-voz da Presidência, General Otávio Rêgo Barros, desmentiu informações sobre suposto apoio ao uso de maconha com fins medicinais, esclarecendo que há uma ou duas moléculas úteis, que devem ser isoladas e usadas como medicamento, enquanto não há qualquer benefício no uso de qualquer outra parte da planta. 

Barros relatou que o Ministério da Agricultura estabeleceu o plano de ação para o Nordeste, iniciativa considerada prioritária para definir políticas especiais para a região. O ministério também contribui para o controle e preservação da vegetação nativa em todo o país. O ministério do Desenvolvimento Regional, por sua vez tem priorizado a alocação de recursos para moradia. 

Os jornalistas da velha imprensa concentraram seus questionamentos nas queimadas que ocorrem na região amazônica. O porta-voz confirmou que há, de fato, denúncias de que ONGs estão por trás dos incêndios na Amazônia. Segundo Barros, a responsabilidade pela proteção ambiental não é só do governo federal. Em relação às ONGs, o porta-voz lembrou que o presidente já destacou que muitas atendem a interesses estrangeiros e visam a exploração de riquezas brasileiras. 

O porta-voz afirmou que não pode detalhar as investigações que estão em curso, mas que o governo federal se preocupa em, antes de definir responsabilidades, encontrar uma solução para o problema ambiental em curso, e para tanto vem empreendendo esforços com os meios disponíveis. 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...