terça-feira, 17 de dezembro de 2019

Procuradores reagem a Toffoli: ‘culpar a Lava Jato pela quebradeira das empreiteiras é alimentar lenda urbana com Fake News’





O procurador e coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, reagiu à entrevista do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Toffoli, que afirmou que a Lava Jato seria a responsável pela quebra de empresas envolvidas em escândalos de corrupção e lavagem de dinheiro. Dallagnol disse: 

Dizer que a Lava Jato quebrou empresas é uma irresponsabilidade:
1. É fechar os olhos para a crise econômica relacionada a fatores que incluem incompetência, má gestão e corrupção.
2. É culpar pelo homicídio o policial porque ele descobriu o corpo da vítima, negligenciando o criminoso. Os responsáveis são os criminosos. A Lava Jato aplicou a lei.
3. É, assim, fechar os olhos para a raiz do problema, a prática por muitos políticos e empresários de uma corrupção político-partidária sanguessuga, que drena a vida dos brasileiros.
4. É fechar os olhos para o fato de que a Lava Jato vem recuperando por meio dos acordos mais de R$ 14 bilhões de reais para os cofres públicos, algo inédito na história.
5. Seguiremos aplicando a lei, que ainda é muito inefetiva no Brasil. Nos Estados Unidos, a prisão acontece depois da primeira ou segunda instância. Sem efetividade da lei, não há rule of law ou estado de direito.

Outro procurador da força-tarefa, Roberson Pozzobon, também respondeu ao ministro Toffoli. Pozzobon disse: “Respeitosamente, Min. Toffoli, a Lava Jato não ‘destruiu’ empresa nenhuma. Descobriu graves ilícitos praticados por empresas e as responsabilizou, nos termos da lei. A outra opção seria não investigar ou não responsabilizar. Isso a Lava Jato não fez”.

Pozzobon também comentou outro ponto da entrevista, em que Toffoli diz que o Ministério Público precisaria de mais transparência. Pozzobon disse: “Dias Toffoli disse que ‘o Ministério Público deveria ser uma instituição mais transparente’. Interessante comentário de quem determinou a instauração de inquérito no STF de ofício, designou relator “ad hoc” e impediu por meses o MP de conhecer a apuração”.

O procurador Helio Telho explicou: “A Lava Jato prendeu executivos de grandes empreiteiras, mas não as proibiu de contratar, tampouco congelou seu capital de giro. As empreiteiras estão em crise financeira porque o governo, que vem tendo déficits recorrentes desde 2014, parou de investir em obras de infraestrutura. O mercado de obras de infraestrutura no Brasil encolheu tanto que praticamente não existe mais, graças a falta de recursos público para investimentos. Culpar a Lava Jato pela quebradeira das empreiteiras que vivem desse tipo de obra é alimentar lenda urbana com Fake News”.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...