quinta-feira, 9 de abril de 2020

Promotores e procuradores denunciam tentativa de ‘calar as vozes que não concordam com avanços totalitários’





A Associação MP Pró-Sociedade, que reúne membros do Ministério Público de perfil conservador, divulgou uma nota pública repudiando a representação apresentada contra a associação e seu presidente, por incluir em seu nome as palavras “ministério público”. Na nota, o MP Pró-Sociedade questiona: “a proibição de liberdade de expressão é apenas imposta a quem não segue ideologias?”. 

Leia a nota do MP Pró-Sociedade: 

NOTA PÚBLICA

O Coletivo Transforma MP, o Ministério Público Democrático, a Associação dos Juízes pela Democracia constantemente fazem manifestações públicas opinando sobre questões públicas e sobre processos e casos concretos.
Hoje vimos que a entidade privada CNPG, que usa "Procuradores-Gerais" e “Ministérios Públicos" em seu nome - Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais de Justiça dos Ministérios Públicos dos Estados e da União - resolveu representar contra a Associação MP Pró-Sociedade, legal e constitucionalmente constituída e, pessoalmente, contra seu Presidente, visando a impedir que a Associação tenha MP ou Ministério Público em sua denominação.
Mas o CNPG não usa nome de cargo e do MP em sua denominação? Ele que nunca fez o mesmo contra as entidades que tinham a hegemonia do debate defendendo ideologias. E agora se volta contra uma associação que tem membros conservadores, sendo que conservadorismo não é ideologia, mas a negação dela, como bem explicam Stuart Hughes e Russel Kirk.
Por que esse Duplipensar? A quem isso serve?
A pergunta que deve ser feita é: a proibição de liberdade de expressão é apenas imposta a quem não segue ideologias? Apenas contra quem defende a soberania nacional? Apenas contra quem acredita que a Sociedade é a verdadeira titular do Poder?
Apenas contra quem repudia a bandidolatria?
Aliás, praticamente todas as associações de membros do MP têm "Ministério Público" em seu nome: pelo óbvio motivo de reunir membros do MP.
Sobre nosso presidente, Márcio Chila, indagamos: tem ele menos direito à liberdade de expressão que as associações e "coletivo" citados? Por que se escolhe ele pra ser atacado e nunca os membros das entidades supracitadas?
Enfim, repudiamos a representação lançada contra a Associação MP Pró-Sociedade e seu presidente e a denunciamos como mais uma tentativa de censura, de tentar calar as vozes que não concordam com avanços totalitários e que exercem o contraditório que era negado pela espiral do silêncio.

                                               Associação MP Pró-Sociedade

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...