quarta-feira, 29 de julho de 2020

Deputada Chris Tonietto retruca Toffoli, Moraes e arbitrariedades do STF: ‘autoritarismo e ativismo judicial’





Em pronunciamento por meio de suas redes sociais, a deputada federal Chris Tonietto, aliada do presidente Jair Bolsonaro, retrucou as reiteradas investidas de Dias Toffoli e Alexandre de Moraes, ministros do STF, contra a liberdade de expressão.


A parlamentar criticou, ainda, a postura do Senado Federal em virtude da aprovação do “PL Fake News”.

Escute as declarações da deputada Chris Tonietto:

Dentre toda a série de arbitrariedades que o STF vem cometendo, Toffoli agora diz que deve haver uma regulação da internet para “combate às fake news”. Eu penso diferente: acho que deve haver uma regulação que faça o STF entender os limites da sua competência.
O bloqueio, por ordem do STF, dos perfis nas redes sociais de diversos apoiadores do Presidente da República marca mais um capítulo na escalada do autoritarismo e do ativismo judicial em nosso país!
Uma Suprema Corte que não aceita nenhuma voz que se levante contra suas ideologias de estimação parece que jamais aceitará a liberdade de expressão que a Constituição Federal garante ao cidadão brasileiro!
O controle da internet e do Whatsapp só pode ser útil a quem está interessado em sonegar informação ao povo. Nosso dever é sepultar o PL 2.630/20 na Câmara dos Deputados!
Meu voto é definitivamente CONTRA o PL nº 2.630/20, o PL da Censura, que viola a Constituição Federal e legitima a ditadura de opinião no Brasil, sob o pretexto de combater as "fake news"!
Com a aprovação do “PL da Censura” no Senado, as atenções se voltam para um projeto de semelhante teor e mesma periculosidade, o PL n° 3.063/2020, que também, sob o pretexto de combate às fake news, visa estabelecer uma perseguição ostensiva a quem pensa diferente!
Representando os interesses da Fundação Lemann, os autores do PL n° 3.063/2020, sob o argumento de alcançar maior "transparência" e combater "robôs não identificados" difusores de "fake news", apresentam sua contribuição para o aperfeiçoamento da máquina da censura!
Em vez de combater a ditadura togada dos ministros do STF e analisar os pedidos de impeachment, o Senado preferiu garantir a mordaça ao cidadão brasileiro votando e aprovando o PL da Censura. Vergonhoso!
Segundo o ministro Alexandre de Moraes, exigir que o STF cumpra estritamente com seu dever constitucional e não interfira nas atribuições de outros Poderes é “querer um Judiciário apático”! A confusão entre força e arbitrariedade  habita a mente dos ditadores togados!
Um “belíssimo” modelo da harmonia entre os Poderes que prega o Ministro Alexandre de Moraes, dentro da esfera do próprio Judiciário, deve ser o inquérito das “fake news”, no qual o Sr. Ministro é vítima, investigador e juiz. Um primor de equilíbrio e imparcialidade! Patético!!! 
O Ministro Fachin propõe que “o abuso de poder religioso leve à perda do mandato”. Na prática, proíbe-se o discurso religioso cristão na política e consagra-se o exclusivismo laicista nas instituições. O Cristianismo vai paulatinamente sendo proibido pela ditadura togada!
Enquanto todos os cidadãos de bem lutam contra a pandemia de COVID-19 e a crise social decorrente dela, o Senado Federal dedica seu precioso tempo a votar o PL n° 2.630/2020, conhecido como o PL da Censura, que busca amordaçar os brasileiros! Que vergonha!!!
Em vez de processar e julgar os pedidos de impeachment dos ministros do STF, o que é de sua competência privativa e seu dever moral perante a população brasileira, nossos Senadores parecem mais interessados em legitimar o controle social através do PL das "fake news".
Lamentável! 

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...