segunda-feira, 7 de setembro de 2020

Senador, militares, jornalistas e deputados reagem após Carmen Lúcia, do STF, exigir de Bolsonaro explicações sobre Amazônia



O senador Plínio Valério, deputados, jornalistas, e cidadãos em geral reagiram a uma ordem da ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, que exigiu explicações do governo Bolsonaro sobre a presença do Exército Brasileiro na Amazônia.

O senador Plínio Valério protestou: “Mesmo em se tratando de STF, estou surpreso com o encaminhamento dado ao pedido do PV, acatado pela ministra Cármen Lúcia. Ela quer saber por qual motivo o exército brasileiro está defendendo a Amazônia. Meu Deus!!!”.

O deputado estadual Tenente Coimbra, oficial do Exército Brasileiro, foi enfático: “Já que a Min. Carmen Lúcia está tão interessada, vai uma dica: saia do aconchego, vá para Manaus, pegue um barco para São Gabriel da Cachoeira. A viagem dura 3 dias e 7 horas, encontrará pelotões de fronteira abdicando a vida em proteção da Amazônia. Lá na cabeça do cachorro, como é conhecida a região, os militares precisam racionar a energia elétrica, não tem sinal de celular e o abastecimento de comida e remédio vem a cada 30 ou 45 dias. Água da chuva para beber e do rio para tomar banho. Mesmo nessas condições, eu tenho certeza que a missão está sendo cumprida de forma muito mais nobre e honrada do que no aconchego e mordomia do STF”.

O oficial acrescentou: “A Min. Carmen Lúcia que saber sobre o uso das Forças Armadas na Amazônia. Foram realizadas 26 mil inspeções e 712 apreensões. 211 veículos retidos, 28 mil metros cúbicos de madeira ilegal confiscados e 791 maquinários apreendidos. Mais de R$ 520 milhões aplicados em multas. A pergunta ideal seria: O que o STF tem feito de útil para o país e não sobre o uso das Forças Armadas na Amazônia”.

O filósofo Olavo de Carvalho, por sua vez, rebateu: “Se a juíza Carmen Lúcia não sabe o que as Forças Armadas estão fazendo na Amazônia, ela deveria pedir demissão do seu cargo”.

O deputado estadual Márcio Gualberto retrucou: “A Ministra do pior STF da história do BR determinou q o Governo Federal explique o uso das Forças Armadas na Amazônia. Faria duas perguntas à Ministra Carmen Lúcia: 

1) A quem interessa ter as Forças Armadas longe da Amazônia? 

2) O que seria da Amazônia sem as Forças Armadas?”.

O deputado federal General Girão questionou Carmen Lúcia: “A Amazônia brasileira sempre foi motivo de cobiça internacional. Agora, vem a Min Carmem Lúcia querendo saber sobre os militares das FFAA na Amazônia. Ora, por que a Sra não vai passar uns dias por lá? Como autoridade, deveria saber os desmandos que o STF já provocou na região”. O general questionou, ainda, Alexandre de Moraes e Dias Toffoli, ministros do STF: “Estou aguardando o ‘diligente e preocupado’  ministrinho do STF determinar a abertura de investigação para apurar as responsabilidades  da ‘manifestação pouco democrática’ ocorrida na Av Paulista. Será que vai decretar a quebra do sigilo bancário dos deputados federais que organizaram?”.

O jornalista Alexandre Garcia apontou o teor inacreditável do “pedido de explicações”. Ele relatou: “Tem coisas inacreditáveis. Quando vocês não acreditavam quando o ministro pediu o telefone celular do presidente Jair Bolsonaro e a ministra pediu para explicar por que estão soltando nota de R$200,00 (...) depois disso, sabe o que ela pediu agora? Deu prazo de 5 dias para o comandante supremo das Forças Armadas, que é o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Defesa explicarem, a pedido do Partido Verde, qual a atuação das Forças Armadas nas fronteiras, na Amazônia Legal e nas áreas indígenas. É isso, você não está acreditando?”.

Neste contexto, ele deu uma explicação a Carmen Lúcia: “É isso, ela está pedindo para as Forças Armadas explicarem que estão defendendo o território nacional, que é a função delas. Guarnecer o território nacional, prestar um grande serviço, protegendo as florestas, as fronteiras. Na cabeça do cachorro, continuam a FARC, uma tal de FNL incomodando. A fronteira é muito grande, tem a fronteira da Amazônia Azul também, tem o mar, tem o ar. Agora, eles vão ter que explicar? Meu Deus, não consigo entender. Qual é o objetivo? Fazer provocação? Qual é o objetivo da provocação?”.

A jornalista Fernanda Salles frisou: “A ousadia da ministra Cármen Lúcia em exigir explicações do poder executivo sobre a atuação das FFAA na Amazônia é resultado de uma sequência de "testes" autoritários promovidos pelo STF que foram extremamente bem sucedidos para os togados e que geraram prejuízo para o povo. A proibição da nomeação de Alexandre Ramagem para a diretoria PF foi o pontapé inicial. Logo depois, o Executivo também foi proibido de ditar as regras de enfrentamento ao coronavírus no país, deixando a população nas mãos de projetos de ditadores que ocupam governos e prefeituras. Todas as vezes que o Executivo cede, o Supremo se fortalece”.

A empresária Simone Horst desabafou: “Quando a Amazônia era explorada por ONGs que extraiam nossa riqueza da floresta, o STF estava dormindo? Como assim Cármen Lúcia dá 5 dias para o presidente e o exército explicarem ações na Amazônia? Quais ações? Que falta de vergonha na cara dessa ministra!”.

O deputado federal Daniel Silveira, por seu turno, salientou: “Você vê tanto o desespero deles que tem o STF até cobrando porque...vem lá uma ministra, Cármen Lúcia, que não entende bulhufas de porcari* nenhuma e pede que explique por que as Forças Armadas estão na Amazônia. Ela não sabe bulhufas. Acho que ela já passou, já está no sarcófago, virou uma múmia do STF, tanto ela quanto qualquer outra”.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...