domingo, 10 de agosto de 2014

Dilma sabia da fraude na CPI da Petrobras e deveria sofrer impeachment, diz jornalista


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
O site político Ucho.info, especializado em política, afirma que as fraudes nas perguntas aos entrevistados da CPI da Petrobras eram de conhecimento da presidente Dilma Rousseff e são motivo para um pedido de impeachment. Segundo o site, embora Dilma tenha dito que as explicações sobre o escândalo caibam ao Congresso Nacional, ela não pode negar que um dos envolvidos trabalha no Planalto, na Secretaria de Relações Institucionais. 
Leia também:
Troca de informações entre Petrobras e Legislativo é 'natural', diz líder do PT
Assim como seu antecessor, o lobista Lula, a presidente Dilma Vana Rousseff também nada sabe do que ocorre no Palácio do Planalto. O que mostra que ambos são desprovidos de capacidade para decidir os destinos de um país tão grande e complexo quanto o Brasil.
Nesta segunda-feira (4), Dilma Rousseff esteve em Guarulhos, na Grande São Paulo, para um ato isolado de campanha e, questionada pelos jornalistas sobre a fraude nos depoimentos à CPI da Petrobras, disse que uma explicação sobre o assunto cabe ao Congresso Nacional.
Ora, desde o primeiro instante após eclodir na mídia o escândalo da compra da refinaria de Pasadena, no Texas, a própria presidente trabalhou intensamente nos bastidores para escapar da responsabilidade. Inclusive viajou a São Paulo para reunir-se com Lula e decidir o que fazer para que o oceano de escândalos na Petrobras não alcançasse seu projeto de reeleição, assim como não interferisse no plano totalitarista do PT de continuar no poder.
Dilma pode até negar os fatos, pois covardia é o seu ponto forte e a Constituição reza que ninguém deve produzir provas contra si, mas a presidente não pode ignorar ao menos um detalhe. O de que Paulo Argenta, acusado de ter participado da fraude, está lotado na Secretaria de Relações Institucionais, órgão que funciona dentro do Palácio do Planalto e está encarregado das articulações políticas do governo.
Argenta, para quem não sabe, foi durante anos o principal assessor da petista Ideli Salvatti, ex-senadora por Santa Catarina e que atualmente está à frente da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência, depois de ter passado pelo Ministério da Pesca e pela Secretaria de Relações Institucionais. No Ministério da Pesca, Ideli envolveu-se no escândalo das lanchas superfaturadas, enquanto que como articuladora política do governo a petista colocou na vitrine nacional a sua conhecida incompetência.
Como sabem os brasileiros que acompanham o cotidiano da política nacional, Ideli Salvatti é pessoa da estrita confiança de Lula, tendo obedecido de forma vergonhosa às ordens do então presidente durante o período em que esteve senadora. Paulo Argenta sempre foi ligado a Ideli, sendo considerado por muitos dos jornalistas que cobrem o dia a dia da política como a sombra da ministra.
Com a transferência de Ideli Salvatti para a Secretaria de Direitos Humanos, Argenta permaneceu nas Relações Institucionais a pedido de Lula, que conhece as especialidades do assessor e passou a servir a Ricardo Berzoini, também muito ligado ao ex-metalúrgico.
Em outras palavras, foi missa encomendada a fraude que marcou os depoimentos de alguns dirigentes da Petrobras à CPI criada no Senado para investigar as estripulias na petroleira verde-loura. De tal modo, fosse o Brasil um país minimamente sério, Dilma já estaria com seu nome em pelo menos um pedido de impeachment. Por conta de escândalo muito menor o arrogante Fernando Collor de Mello foi ejetado do poder.



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...