quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Fernando Pimentel (PT), candidato em MG, é acusado de fraudar prêmio de 'melhor prefeito do Brasil'


Imagem:  Roberto Stuckert Filho/Divulgação
Apesar de estar sendo usado na campanha de Fernando Pimentel ao governo de Minas, o título de 8º melhor prefeito do mundo foi posto em xeque pela coligação “A Vez de Minas” (PSDB, PSD, DEM, PP, PR E SD), nesta semana.

Por meio do site Pimentelmente.com.br, os partidos acusam o petista de fantasiar a importância do Prêmio World Mayor e dá detalhes de uma “investigação” sobre o caso.

Vídeo faz graves acusações contra Fernando Pimentel, usando de edição de imagens em tom satírico


Segundo eles,  a premiação é promovida por uma organização não-governamental de Londres, a City Mayors, realizada pela internet, permitindo a qualquer cidadão inscrever um prefeito que considera destaque. A inscrição pode ser feita pela própria pessoa, inclusive. Em seguida, uma seleção seria feita pelos dirigentes da ONG, mas sem critérios específicos.

Pimentel teria ganhado o prêmio em 2005. No entanto, o site aponta que havia apenas duas cidades brasileiras com prefeitos selecionados no concurso, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, sendo que a lista continha 65 prefeitos de cidades da África, América do Norte, América do Sul e Europa.

“Como pode o título de melhor prefeito do Brasil ser disputado tendo apenas 2 concorrentes? Vamos lembrar que o Brasil possui 5570 cidades. Amostra inadequada, não é?!”, afirma a postagem.

A coligação também questiona o fato da ONG não conceder um prêmio na modalidade “melhor do Brasil”, mas, sim, para o mais votado entre os 65. Naquele ano, o vencedor foi Dora Bakoyannis, presidente da Câmara de Atenas.

A votação também foi alvo de críticas. De acordo com a publicação, a seleção do Prêmio Mundial Mayor considera o número de votos e o conteúdo das declarações livres postadas. Porém, não havia programa de auditagem. “Tudo ficou a cargo do corpo dirigente, dos internautas que podiam votar várias vezes e comentar o que quisessem, e também de ferramentas tecnológicas para essas finalidades, por exemplo, um eventual uso dos chamados 'robôs'", sugere o autor do tópico.


Veja também:

A suspeita de que o ex-assessor da presidência da Prodabel, responsável pela gestão dos terminais de computadores da prefeitura, Rodrigo Queiroga, teria auxiliado Pimentel no concurso ainda foi levantada. De acordo com o site, Queiroga era correspondente da ONG na América do Sul e integrante do seu seleto grupo de 16 dirigentes. Como “evidência”, a página reproduziu uma matéria do site de notícias Gazeta de Itaúna, publicada em março de 2006, sobre a suposta tentativa da PBH em esconder Rodrigo Queiroga no material da divulgação do prêmio do ex-prefeito.

Em relação às acusações, a assessoria do candidato informou que Fernando Pimentel ficou satisfeito com a premiação, porém, se existem dúvidas quanto ao processo de votação e eleição no Prêmio World Mayor, essas devem ser repassadas à ONG.  Na opinião do ex-prefeito da capital, todo o processo permitia a inscrição de qualquer prefeito, não houve imparcialidade na opinião de Pimentel.

Veja também:

Bhaz
Editado por Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...