quarta-feira, 12 de novembro de 2014

O PT quer acabar com a liberdade de expressão e o direito à informação, diz jornal


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
No editorial do dia 5 de novembro, o jornal Diário do Poder faz uma análise da posição do PT em relação à liberdade de imprensa. Para o jornal, a intenção do partido é calar a imprensa brasileira, como fizeram também outros governos latino-americanos, "conduzidos por líderes populistas de inclinação autoritária". Para conseguir esse objetivo, o partido pretende disputar a presidência da Câmara com todos os recursos de que dispõe. 

Leia abaixo o editorial: 

O presidente do PT, o ex-jornalista Rui Falcão, acha esse negócio de imprensa livre uma coisa horrível. Os fascistas também. Tiranos e facínoras também têm horror ao direito inalienável da sociedade à informação. Nesse ponto, a figura anã de Rui Falcão não está só, vê-se acompanhado em nossa região do mundo de muita gente de alto coturno (todos com credenciais democráticas um tanto esfarrapadas) como a presidente Cristina Kirchner, da Argentina; o trio bolivariano (Maduro, Rafael Corrêa e Evo Morales ) e os eternos Castro. Todos esses países conduzidos por líderes populistas de inclinação autoritária, que se percebem como verdadeiros salvadores de suas respectivas pátrias.
Leia também:
Deputado irmão de José Genoino diz que PT irá calar a mídia à força depois das eleições; assista
Todo sorridente ao sair da reunião da Executiva Nacional do PT, nesta segunda-feira, Falcão disse que seu partido vai entrar com todas as forças na disputa pela presidência da Câmara dos Deputados, para que possa impulsionar ativamente as decisões do segundo mandato da presidente Dilma, em particular a reforma política e a ‘democratização’ dos meios de comunicação.
Isso quer dizer que para fazer avançar sua agenda autoritária, o PT vai acionar o rolo compressor para esmagar o deputado pemedebista Eduardo Cunha, enterrando sua pretensão de vir comandar aquela casa do Congresso. A presidente Dilma abomina o Cunha porque ele se recusa à subserviência plena. E quem não é subserviente aos desígnios da grande chefa é considerado inimigo, a ser combatido a ferro e fogo. Duas estrelas do PT, de grandezas diferentes, querem o lugar de cunha: Arlindo Chinaglia, de São Paulo, de maior brilho, e o gaúcho Marco Maia, mais apagadinho, um tipo que saiu do cargo direto, sem escalas, para o baixo clero. Os dois têm em comum, além da filiação partidária, o fato de serem representantes de Estados onde o PT perdeu de lavada nas últimas eleições.
Na Resolução que emitiu, a executiva do PT prioriza-se para o segundo mandato da presidente, a reforma política e o controle da mídia, que qualificam eufemisticamente como a “democratização” dos meios de comunicação. O documento determina que o partido trabalhe para permitir que o governo tome “medidas avançadas” nessa área e alerta que será travada uma “batalha” no Congresso para aprovar a “Lei da Mídia Democrática”.

Veja também: 


Luciana Camargo
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...