quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Augusto Nunes revela por que saiu do Roda Viva e dá aula de jornalismo: 'Não se trata de ganhar a discussão. Você tem de informar ao espectador'


Imagem: Produção Ilustrativa / Folha Política
Em entrevista ao programa Os Pingos nos Is, da rádio Jovem Pan, o jornalista Augusto Nunes comentou a repercussão do programa Roda Viva com o deputado Jair Bolsonaro, e de sua própria entrevista explicando por que deixou o programa. 


"Eu resolvi falar algumas coisas sobre o Roda Viva e comentar o programa porque eu acho necessário que os contribuintes saibam o que se passa em uma empresa pública. Eu não teria nada a dizer sobre a condução do Roda Viva, os rumos do Roda Viva, se fosse um programa de uma empresa particular. Mas a TV Cultura depende do nosso dinheiro, é financiada por nós, e portanto eu tenho o direito de me declarar preocupado com os rumos que as coisas estão tomando", disse Nunes.

Leia também: 

O jornalista explicou por que saiu do programa. "Quando terminou o meu contrato, resolvi que não o renovaria em consequência de pressões políticas que vinham se intensificando, envolvendo a presidência da TV Cultura e o Conselho, no momento controlado por dois de seus integrantes, que são o Jorge Cunha Lima, conselheiro há muitos anos, e Augusto Rodrigues, presidente do Conselho. Há alguns meses eles vinham dizendo que o Roda Viva tinha um viés direitista, que não trazia pessoas de esquerda, o que é falso. Entrevistei vários militantes da esquerda, dirigentes de partidos da esquerda, ministros do governo do PT, que foram recebidos educadamente e que puderam falar à vontade sobre o que pretendiam. E todos os meses eu fazia questão de mandar um convite protocolado para Dilma e Lula. Eles nunca aceitaram o convite. A única recomendação que eu dava era que convidassem jornalistas que fizessem perguntas sobre o que quisessem, mas perguntas que evitassem a exposição das próprias ideias". 

Augusto Nunes explicou que, no bom jornalismo, o entrevistado é que deve ser o centro das atenções, para que o espectador forme sua própria opinião. E que o programa Roda Viva costumava ser um grande exemplo desse bom jornalismo: "O Roda Viva, basicamente, é o seguinte: estrela é o entrevistado. Quem tem que ser conhecido é o entrevistado, quem tem que expor ideias é o entrevistado. Os jornalistas são coadjuvantes muito importantes que devem fazer que o entrevistado se revele, diga o que pensa e diga o que acha, sobretudo. Você deve pressioná-lo aqui e ali, sempre com elegância, como fazem os jornalistas do mundo inteiro. Agora, quem decide se o que ele falou está certo ou está errado é o espectador. Esse é o juiz final". 

O entrevistador deve ser, na opinião de Augusto Nunes, como o juiz de futebol: "quanto menos aparece em um jogo, melhor é a atuação do juiz". "No caso do entrevistador do Roda Viva, ele deve garantir tempo igual para todos os presentes e deve garantir, sobretudo, que o entrevistado exponha o que pensa, e, claro, tem que tratar de assuntos que interessem a quem está assistindo", explica.  

Augusto Nunes explica o papel dos jornalistas: "Eu conheço o Roda Viva e sei como é que é; você não pode deixar, por exemplo, que o entrevistador faça três perguntas sucessivas sobre assuntos diferentes, porque está tomando o tempo do outro. E você não pode ser rude, e nem tratar como inimigo, ninguém. Não se trata de ganhar a discussão. Você tem de informar ao espectador. A tua opinião não interessa ao espectador. A opinião dos jornalistas não interessa". 

O jornalista lembrou a recomendação que fez ao deixar o programa: "No final do programa, eu disse que o Roda Viva deveria continuar trilhando a rota do jornalismo independente, que é uma rota difícil, mas é a única que leva ao porto seguro do Estado Democrático de Direito. Pelos rumos que as coisas estão tomando, por determinação de conselheiros que estão abusando de suas funções, eu temo que o programa esteja se desviando da rota da independência. E é por isso que a reação ao programa de ontem foi tão intensa".

Veja também:




Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...