sexta-feira, 17 de agosto de 2018

MPF vai investigar Dallagnol por dizer que ministros do STF passam mensagem pró-corrupção


Imagem: Pedro de Oliveira / ALEP
A Corregedoria do Ministério Público Federal instaurou procedimento preliminar para apurar se o procurador Deltan Dallagnol, responsável pela força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, cometeu infração disciplinar ao comentar a conduta de ministros em julgamentos do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em entrevista à Rádio CBN nesta semana, Dallagnol comentou a decisão da 2ª Turma do STF de retirar do juiz federal Sérgio Moro trechos da delação da Odebrecht que citam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-ministro Guido Mantega, que teve voto favorável dos ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski.

Leia também: 

“Os três mesmos de sempre do Supremo que tiram tudo de Curitiba e mandam tudo para a Justiça Eleitoral e que dão sempre os habeas corpus. Estão sempre formando uma panelinha e que mandam mensagem muito forte de leniência a favor da corrupção”, afirmou o procurador.

Na sequência, porém, Dallagnol ressaltou que não queria fazer nenhuma insinuação. “Não estou dizendo que estão mal intencionados nem nada. Só estou dizendo que objetivamente a mensagem das decisões é de leniência, e esses três de novo olham e querem manda para a Justiça Eleitoral, como se não tivesse indicativo de crime. Isso para mim é descabido”, concluiu.

A assessoria do MPF afirmou que foi instaurado apenas um procedimento inicial, mas que o processo corre sob sigilo e que não é possível fornecer maiores informações a respeito.

Dallagnol já responde a reclamação disciplinar no Conselho Nacional do Ministério Público por ter criticado no Twitter a possibilidade de mandado coletivo de busca e apreensão em favelas do Rio de Janeiro durante a intervenção federal na segurança pública.

O integrante do MP afirmou que “se cabem buscas e apreensões gerais nas favelas do Rio, cabem também nos gabinetes do Congresso”.

Veja também:





Matheus Teixeira
Jota
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...