sexta-feira, 26 de outubro de 2018

'Ao que parece, aquela que deveria zelar pela imparcialidade tomou partido de um dos lados', diz Janaína Paschoal sobre representante da OEA


Imagem: Produção Ilustrativa / Folha Política
A jurista Janaína Paschoal, eleita deputada estadual com mais de dois milhões de votos, respondeu à manifestação da Chefe da Missão da OEA, que afirmou que o uso de fake news nas eleições brasileiras seria algo sem precedentes. Para Janaína, a manifestação da representante da OEA tem claros indícios de partidarismo e endossa acusação feita sem provas pela imprensa. A deputada eleita conclui: "Depois de ontem, nenhuma apreciação da OEA sobre nossas eleições importa".


Leia abaixo a análise de Janaína Paschoal: 

Intriga o fato de a representante da OEA se manifestar em tal sentido, depois de se reunir com o PT. Não sei se interpretei mal, mas, ao que parece, aquela que deveria zelar pela imparcialidade tomou partido de um dos lados.
Quem trabalha na área criminal sabe bem a importância do que chamamos "corpo de delito". Há crimes que deixam vestígios e há crimes que não deixam vestígios. Nos que deixam vestígio, faz-se necessário ter o corpo de delito, para fins de ser periciado.
Pois bem, quando li a fatídica matéria da "Folha de S. Paulo", fiquei aguardando o corpo de delito, os tais vestígios. Vejam, não estou nem falando do alegado contrato de 12 milhões, ou do depoimento de algum colaborador. Estou falando das mensagens supostamente disparadas em larga escala.
Leia também: 
Dono da Havan, Luciano Hang manda recado para Globo e Datafolha após última pesquisa eleitoral; assista ao vídeo
Bolsonaro recebe índios do Xingu e discute as riquezas do Brasil; veja vídeo
Sindicato de professores distribui material pró-Haddad para alunos e pais de escola estadual

Entendam, se a denúncia fosse real, todos nós teríamos recebido mensagens padrão, ora enaltecendo Bolsonaro, ora desmerecendo Haddad. Mas não foi o que ocorreu. O que as pessoas fazem e trocam são os tais memes... algo inerente à liberdade de criação e expressão...
Tivesse realmente havido um disparo robotizado de fake news, o PT, ao apresentar sua "denúncia" ao TSE, teria instruído a petição com os tais vestígios do crime, ou seja, com cópias (prints) das mensagens que entende ser fake. Mas isso simplesmente não ocorreu!
Inventaram um escândalo, contaram com uma jornalista simpatizante e geraram uma ação, sem qualquer materialidade, simples assim. Eu sei, eu sei, eu já havia escrito isso aqui. Mas a situação ficou mais grave!
A situação ficou mais grave, pois a autoridade que veio garantir nossas eleições, mesmo na ausência de quaisquer vestígios do alegado crime, açodadamente, adotou a tese do PT. Por quê? Talvez por, ideologicamente, se identificar com o partido.
Muitos jornalistas têm me telefonado, indagando o que eu penso de um candidato estar ganhando com base em fake news. Imediatamente, eu peço aos profissionais para me apresentarem os prints das mensagens que o PT considerou fake.
Nesse momento, apenas nesse momento, os jornalistas percebem que o material não existe. Eu cheguei a dar prazo para os jornalistas esmiuçarem a ação do PT, a fim de levantarem o tal corpo de delito, acabam desistindo da matéria...
Enquanto o PT acusa Bolsonaro de fazer fake news, o povo vem denunciando a distribuição de jornais com acusações estapafúrdias a Bolsonaro, nos terminais de ônibus, nas rodoviárias, etc.
Até vídeos instrumentalizando crianças inocentes estão sendo feitos. Diante desses materiais, o PT diz que não tem nenhuma responsabilidade, que são jornais e vídeos independentes. Sei. E os memes trocados no whatsapp são crime organizado? Faz-me rir!
Depois de ontem, nenhuma apreciação da OEA sobre nossas eleições importa. Por muito tempo, a OEA referendou a democracia na Venezuela! Algum jornalista, por favor, pergunte à representante da OEA, o que ela pensa sobre as TRUE NEWS envolvendo o PT.
Veja também: 





Gazeta Social
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...