quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Hoje, ‘STF vai julgar se lhe cabe rasgar a Constituição’, diz procurador


Imagem: Produção Ilustrativa / Folha Política
O procurador Ailton Benedito apresentou uma série de reflexões sobre o julgamento que será iniciado hoje no Supremo Tribunal Federal, sobre a criminalização da homofobia. Em várias declarações, o procurador ressaltou a importância de que crimes só podem ser definidos por lei, e leis só podem ser criadas pelo Congresso Nacional. Para o procurador, “se o STF criminalizar a homofobia, sem lei, jogará no lixo a garantia constitucional da legalidade”. 


Ouça:


Leia algumas das declarações do procurador Ailton Benedito:

O mesmo STF que despreza a liberdade individual, ao decidir que o homeschooling (educação em casa) é inconstitucional, sem lei regulamentando-o, pode criminalizar a homofobia, sem lei. Ou seja, educação em casa depende de lei, criminalização de homofobia independe de lei.

Parecia haver um limite que o STF não ultrapassaria, a pretexto de interpretar a Constituição, mas a reescrevendo, de fato: tratava-se da garantia constitucional da legalidade (não há crime sem LEI anterior que o defina), ameaçada pela criminalização da homofobia, sem lei.

Se o STF criminalizar a homofobia, sem lei, jogará no lixo a garantia constitucional da legalidade (não há crime sem LEI anterior que o defina), usurpando competência legislativa do Congresso, exclusivamente para atender uma pauta ideológica influente em guetos sócio-midiáticos.

Leia também: 

A primeira e mais fundamental proteção do cidadão contra perseguição penal abusiva pela Polícia, Ministério Público e Judiciário é a garantia da legalidade (não há crime sem LEI anterior que o defina). Se o STF criminalizar a homofobia, sem lei, jogará no lixo essa garantia.

Bandidólatras e democidas, que pregam desencarceramento em massa dos bandidos, a pretexto de que “prisão não resolve o problema”, defendem que o STF rasgue a Constituição e criminalize a homofobia, sem lei, para prender cidadãos contrários à homosexualização precoce de crianças.

O mesmo STF se acha investido do poder de criminalizar homofobia sem lei e descriminalizar as drogas e o aborto contra a lei. A despeito de não ter competência para legislar em matéria penal, a qual foi outorgada pela Constituição ao Congresso Nacional eleito pelo povo.

No dia 13/2/2019, o STF vai julgar se lhe cabe rasgar a Constituição, especialmente a garantia da legalidade penal (não há crime sem lei anterior que o defina), para atender a pauta ideológica esquerdista, que pretende criminalizar a homofobia sem lei.
Veja também: 









Gazeta Social
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...