domingo, 22 de setembro de 2019

Sergio Moro aponta como fará mapeamento genético de quase 1 milhão de criminosos para alçar o Brasil a novo patamar de Justiça



Em pronunciamento no IV Fórum Nacional do Comércio, evento promovido pela CNDL - Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas -, Sergio Moro, ministro da Justiça do Governo Bolsonaro, anunciou o projeto de efetivação de um catálogo de perfis genéticos de criminosos.

"A taxa de resolução de crimes no Brasil é muito baixa. Precisamos aumentar a capacidade da nossa Polícia Judiciária para investigar esses crimes. Temos de investir em modernas técnicas de investigação. Uma delas é a rede nacional de perfis genéticos. Como funciona? A polícia isola o local do crime. Se conseguir colher o material genético, é examinado o perfil genético, uma moderna impressão digital. Isso é incluído em um banco de dados que funciona como uma rede nacional", asseverou.

"Pessoas condenadas por crimes violentos ou hediondos precisam ter recolhidos seus perfis genéticos. Isso vai virando uma espécie de banco de perfis genéticos de pessoas envolvidas em atividades criminais. Condenadas ou que deixaram vestígios no local do crime. Tínhamos uma lei, mas não foi executada, principalmente por resistências do Poder Executivo", salientou Moro.

"No final de 2018, tínhamos 30 mil perfis cadastrados. O Reino Unido tem um banco com 6 milhões. Os EUA tem 12 milhões. Uma de nossas propostas é, até a metade de 2022, termos um banco nacional completo. Colher todo o material biológico no local do crime e da população carcerária. Isso leva nosso banco para um número superior a 800 mil perfis genéticos. Isso poderá ajudar na resolução de crimes que permaneceram no passado sem solução", afiançou.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...