quarta-feira, 9 de setembro de 2020

Eduardo Bolsonaro aponta decisão do STF sobre governadores e retruca: ‘Pergunta a eles sobre emprego e economia’



Por meio de suas redes sociais, o deputado federal Eduardo Bolsonaro rebateu aqueles que acusam o Governo Bolsonaro em virtude dos efeitos deletérios da pandemia sobre a economia.

Eduardo rememorou: “No início da pandemia, o STF decidiu que os poderes para decretar quarentenas e lockdowns eram de prefeitos e governadores. Pergunta a eles agora sobre emprego e economia”.

Ademais, o parlamentar emendou: “As praias lotadas não significam apenas a vontade das pessoas em ter lazer, são também um recado aos aspirantes a ditadores. Quem sabe o que é melhor para si são as próprias pessoas, não os governantes hipócritas e autoritários”.

O STF também foi criticado por parlamentares e jornalistas em razão de outras decisões recentes que afetam a realidade nacional, a liberdade de expressão e a Operação Lava Jato.

Roberto Jefferson, presidente do PTB, parabenizou o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro em rede nacional e abordou o caráter tendencioso das decisões da Suprema Corte: “Muito bom o pronunciamento do presidente Messias Bolsonaro no 7 de Setembro. Mas a velha imprensa deu mais destaque a Lula, que já se coloca como adversário do presidente para 2022. O STF pode até cancelar a sentença de Lula, mas diante da população, ele continuará condenado”.

Jefferson complementou: “O Presidente Messias Bolsonaro está reunido com seus ministros no conselho de governo. Queira Deus ele não grave a reunião, pois algum exibido do STF pode ousar a requerê-la para fazer fuxico”.

Nesta terça-feira, o deputado federal Paulo Eduardo Martins relatou ter sido convocado a depor no âmbito do inquérito 4828, o qual, conduzido pelo ministro Alexandre de Moraes, apura supostos “atos antidemocráticos”. Ele relatou: “Fui intimado a depor no ‘inquérito dos atos antidemocráticos’, aquela beleza em defesa da liberdade.  Eu devo ser uma grande ameaça à democracia, já que todos os dias tomo decisões que violam a Constituição”.

A deputada federal Paula Belmonte, por sua vez, desferiu severas críticas a Gilmar Mendes ao abordar decisões relativas à Lava Jato: “A Segunda Turma do STF está trabalhando! Aproveitando a vaga de uma cadeira. Com o empate, favorece os “Caciques Políticos”. Cara de pau do Ministro Gilmar Mendes tirando Jucá e Raupp da Lava Jato. Quem esses Ministros defendem? Vergonha do Supremo Tribunal Federal”.

No artigo “Renovar é preciso!”, veiculado nas redes sociais pelo General Paulo Chagas, o General Maynard Marques de Santa Rosa advertiu para afrontas do STF à Justiça. Segundo o oficial, há, no Brasil, um “leviatã de muitas cabeças” que foi severamente abalado com as eleições de 2018, mas manteve-se incólume no Judiciário.

O general apontou: “O conluio de interesses produziu um leviatã de muitas cabeças, que se enraíza nos três Poderes do Estado e nos setores dominantes da sociedade, nutrindo-se, parasitariamente, dos recursos públicos. Sofreu o impacto das eleições de 2018, perdendo força no Executivo; aturdiu-se no Legislativo, mas manteve-se incólume no Judiciário, onde ocupa os bastiões dos tribunais superiores, conquistados ao longo das três últimas décadas”.

O oficial acrescentou: “A Corte Suprema virou caixa de ressonância dos partidos de oposição. A invasão das prerrogativas discricionárias do Executivo tornou-se rotina. A intrusão no processo legislativo segue o impulso do ativismo judiciário. As próprias garantias constitucionais tornaram-se letra morta”

Ao apontar que se vive uma “persistente afronta ao senso de justiça”, ele rememorou análise de Alexis de Tocqueville na obra “A Democracia na América”: “Se a Suprema Corte viesse um dia a ser composta de homens imprudentes ou corrompidos, a federação teria a temer a anarquia ou a guerra civil”.

O senador Plínio Valério, por sua vez, criticou Toffoli ao comentar o “legado” que o ministro deixará na presidência da Corte: “Toffoli deixa a presidência do STF essa semana. Qual o seu legado à frente da Suprema Corte além de articular o fim da prisão em segunda instância, o maior cavalo de pau jurídico que botou na rua milhares de criminosos e de seu amigo Lula?”.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...