domingo, 20 de dezembro de 2020

Deputados, jornalistas e personalidades se indignam após relato de Guedes sobre golpe contra Bolsonaro


Após Paulo Guedes, ministro da Economia do Governo Bolsonaro, relatar movimentações de João Doria, governador de São Paulo, de ministros do STF e de Rodrigo Maia, presidente da Câmara, contra o presidente Jair Bolsonaro - inclusive com um cronograma de 60 dias para concluir um processo de impeachment -, deputados, jornalistas, ativistas e outras personalidades indignaram-se e questionaram as autoridades. 

Em entrevista à Revista Veja, Paulo Guedes ressaltou que o conflito teria sido desmontado ouvindo os ministros do Supremo Tribunal Federal e cedendo a suas exigências, o que incluiu a saída do então ministro Abraham Weintraub do governo. O ministro relatou: “Liguei para cada um dos ministros do Supremo para tentar entender o que estava acontecendo. Conseguimos desmontar o conflito ouvindo cada um deles. O ministro Gilmar Mendes, por exemplo, sugeriu que o governo deveria dar um sinal, caso estivesse realmente interessado em pacificar as relações. A demissão do Weintraub foi uma sinalização. Liguei também para o ministro Barroso e para o ministro Fux”.

O deputado estadual Gil Diniz reagiu enfatizando os efeitos deletérios das atitudes de João Doria para o Brasil: “Guedes afirmou que havia um plano orquestrado por Doria, Maia e Ministros do STF para derrubar o PR, o plano tinha até cronograma e seria executado!

Doria tenta a todo custo desestabilizar a União, sabota o Brasil e trabalha contra os milhões de paulistas que elegeram Bolsonaro!”.

O economista Rodrigo Constantino protestou diante do silêncio de influenciadores: “Bom dia. Vem cá, vai todo mundo ignorar mesmo a revelação gravíssima do Paulo Guedes na entrevista a Veja? Vão todos fingir que o ministro não disse que tentaram um golpe contra Bolsonaro, incluindo STF? Até o próprio presidente vai se calar?! O sistema já o engoliu a esse ponto? Normalizaram o absurdo, banalizaram o mal. Mais Churchill, menos Chamberlain! No mesmo dia em que Paulo Guedes joga no ventilador a articulação golpista de TUCANOS, DEMOCRATAS e ministros do STF, o deputado Kim sobe no púlpito para acusar o presidente de vagabundo, quadrilheiro e corrupto? Deve ser só coincidência…”.

Henrique Olliveira, cofundador do Movimento Brasil Conservador, publicou: “Resumo da entrevista de PAULO GUEDES: - MAIA tramou o impeachment de BOLSONARO junto com Ministros do STF e DÓRIA - WEINTRAUB foi demitido como ‘sinal de paz’. NÃO chega a surpreender. Imaginávamos isso. Mas era suspeita. Ter a confirmação, é sim um baque...É muita podridão”.

O jornalista e palestrante Bernardo P Küster interpretou: “Paulo Guedes, em entrevista à revista Veja, relatou o golpe contra Bolsonaro exatamente como Allan dos Santos fizera meses atrás. Vão dizer agora que Guedes também só quer cliques e likes? Quem sabe agora os generais acordam e param de afagar comunista. Paulo Guedes expôs o golpe tramado contra Bolsonaro e a mídia não deu um pio. O assunto deveria ser discutido por todos os jornais por dias a fio, mas não foi. Pelo silêncio do Presidente, entendo que Guedes foi o porta-voz de Bolsonaro neste caso. Parece mais um pedido de ajuda”.

O investidor Leandro Ruschel avaliou que o silêncio da velha imprensa é uma espécie de confissão de culpa: “O silêncio generalizado da extrema-imprensa sobre as revelações de Guedes, em relação ao plano para derrubar o presidente, é uma espécie de confissão. A "imprensa" teve protagonismo no movimento, e não abandonou a ideia. A conclusão a que podemos chegar, após as revelações de Paulo Guedes sobre a conspiração para derrubar o presidente, é que o Kássio foi condição para a ‘pacificação’ exposta pelo ministro da Economia, apesar dele não ter tocado nesse ponto. O silêncio sobre a conspiração denunciada por Paulo Guedes é ensurdecedor. Enquanto ‘jornalistas’ de esquerda ganharam milhões diretamente dos governos petistas, em verbas publicitárias, e são abastecidos por verbas milionárias de ONGs esquerdistas estrangeiras, jornalistas conservadores são acusados de crime por ads do Google ou por vender livros! Um detalhe: as verbas milionárias da Secom para blogs chapa-branca de esquerdistas secaram, mas verbas publicitárias para "jornalistas" de esquerda, no formato de contratos de assessoria, contratações diretas ou publicidade continuaram a ser oferecidas por governos estaduais. Maia falou na tribuna: ‘... eu sou um oponente da agenda de costumes, que divide e radicaliza o Brasil, gerando ódio entre as pessoas…’. Em outras palavras, ele é inimigo do conservadorismo. É o grande conspirador da República e boicota a agenda eleita democraticamente. Botafogo sabota o Brasil desde os primeiros dias do novo governo. Enrolou a Reforma da Previdência o quanto pode. Acelerou todos projetos que favoreciam corruptos. Foi um dos pais da CPI da Censura. Boicotou o quanto pode as reformas. Operou para derrubar o presidente.  A PGR não investigará as graves denúncias de conspiração contra o presidente, apresentadas pelo ministro Paulo Guedes? Isso é muito mais sério que meia dúzia de bocós com cartazes pedindo AI-5”.

Roberto Jefferson, presidente do PTB, frisou: “O ministro Paulo Guedes disse que lá no início da pandemia, havia um cronograma para o impeachment de Bolsonaro, em uma trama que envolvia gente da Justiça, Rodrigo Maia, governadores etc. Foi isso que eu denunciei em abril. Na entrevista ao Oswaldo Eustáquio eu explodi a armação.

O que o ministro Guedes está falando agora, eu alertei naquela célebre entrevista de abril, que foi compartilhada até pelo presidente Bolsonaro. FHC, Maia, ministros do STF, governadores, uma turma armava o bote do impeachment. Quando levamos a público, os golpistas murcharam. Nosso deputado Douglas Garcia convocando para o dia 22, todos nas ruas em defesa da liberdade do povo brasileiro”. 

O economista Alan Ghani comentou: “Paulo Guedes mostrou que sua maior qualidade não é a sua brilhante inteligência, mas a sua lealdade. Quem nasceu para ser Dória jamais será um Guedes”.

O jornalista J. Sepúlveda destacou a continuidade das ameaças ao Governo Bolsonaro: “Um Ministro, do relevo de Paulo Guedes, denuncia uma articulação golpista do STF, de Maia e de Doria para derrubar o governo! Analisados os fatos, a conspiração é diária e prossegue. Mas o silêncio é ensurdecedor, e a perseguição judicial por ‘atos antidemocráticos’ continua…”.

O jornalista Rafael Fontana hachurou a importância de manifestações populares em defesa do Governo Bolsonaro: “Paulo Guedes já havia mencionado meses atrás a armação contra Bolsonaro, mas a mídia escondeu a história para favorecer Maia, Doria e comparsas.

Há mudanças ocorrendo nos bastidores de Brasília, e as manifestações populares são fundamentais para chancelar o governo”.

LUIZ CAMARGO vlog destacou a resposta de Guedes a Doria: "Vai governar São Paulo rapaz, deixe de ser maluco" - Guedes, PAULO

Ubiratan Jorge Iorio questionou a atuação da Procuradoria-Geral da República: “Alguém já acionou a PGR para investigar a conspiração denunciada pelo ministro da Economia?”.

O ativista conservador Alan Lopes disse: “Até agora estou perplexo com o silêncio sobre a declaração de Paulo Guedes. Revelar que descobriu um golpe entre o presidente da Câmara, governadores de estados e gente do judiciário para derrubar o Presidente? Vocês tem noção do que estamos falando? Lei de Segurança Nacional”.

Claudia Wild pontuou: “Prender jornalista independente sem que haja crime ou sentença condenatória, é fácil. Quero ver prender os conspiradores da República, citados por Paulo Guedes. Aliás, eles serão investigados por ‘atos antidemocráticos ou tentativa de golpe’?”.

O deputado estadual Márcio Gualberto fez uma admoestação: “Após tomarmos conhecimento, por meio da entrevista do Min. Paulo Guedes, de q estava em curso um golpe contra o PR, @jairbolsonaro, compreendemos melhor as decisões absurdas tomadas pelo STF. A reportagem é um alerta de que os golpistas continuam tentando um impeachment ilegítimo”.

Brunão, do Movimento Conservador, avaliou que o país vive os efeitos de um golpe concretizado: “Não sei se vocês perceberam, mas o Brasil JÁ sofreu um golpe! Paulo Guedes jogou isso no ventilador com qual intuito? #Dia22VaiSerGigante”.

A jornalista Fernanda Salles corroborou: “O golpe contra Bolsonaro foi revelado. Um ministro do STF pede a cabeça de um ministro do Executivo como ‘sinal’ de que o governo teria desistido de enfrentar o establishment. Tudo isso com o conhecimento do governador de São Paulo. Articulado por um presidente do Legislativo. O cenário pintado por Paulo Guedes é um dos maiores escândalos da nossa política. Revela a podridão do sistema. Harmonia? Poderes independentes funcionando sem que um interfira no outro? Isso é tão irreal quanto a beleza do socialismo descrita em alguns livros de história”.

Em artigo publicado na Gazeta Brasil, ela acrescentou: “O cenário até aquele momento dizia que uma grande contra-revolução popular se avizinhava. Apoiadores do governo saíam de suas casas todos os domingos para sustentar as mudanças que viriam com uma provável ruptura entre governo e establishment. A Suprema Corte perseguia apoiadores de Bolsonaro por crime de opinião. A panela de pressão estava prestes a estourar. Foi naquele momento que o jogo virou para o sistema. ‘A partir daí as coisas se acalmaram entre o governo e o STF’”. 

Segundo a repórter, o judiciário teria “tomado de assalto” os outros poderes após este conflito: “Também foi a partir daí que a porteira se abriu. Munidos da convicção de que ninguém lhes impediria, ministros decidiram avançar agendas contrárias aos interesses da população, intensificaram os atentados à Constituição Federal. Os poderes do presidente da República foram suprimidos e o judiciário tomou de assalto as competências do poderes Legislativo e Executivo. Guedes não viu, mas as mãos do presidente foram amarradas naquele dia. Guedes não percebeu, mas o prenúncio do golpe, que impediu o avanço conservador no Planalto, foi o próprio golpe”. 

Nelson Paffi realçou a necessidade de ação por parte do Senado Federal: “Nhonho permanece calado sobre a declaração do Ministro Paulo Guedes, sobre o golpe/atent* contra a soberania nacional promovido por Doria/Nhonho, Alex e Gilmar.

Nhonho, em desespero total, só fica criticando o Presidente e a Globo/CNNBrasil/BandTVChina divulgam só isso. Diante das denúncias do Ministro Paulo Guedes, de que dois togados, Alexandre e Gilmar, participaram do golpe promovido pelo Doria/Nhonho, é motivo suficiente para exigir explicações desses togados. E compete ao senado colocar em votação o impeachment deles”.

Henrique Olliveira, do Movimento Brasil Conservador, também avaliou que tais acontecimentos consistiram em um “golpe”: “PAULO GUEDES denunciou um verdadeiro golpe contra BOLSONARO. Legislativo, Judiciário, Dória... Isso sim é um GOLPE, não aquela IMBECILIDADE que tentaram vender com DILMA. E a imprensa fazendo cara de paisagem”.

Ian Maldonado, do Aurora Prime, comentou: “1) Jair estava realmente puto da vida, Abe queria partir pra cima do STF e tinha consciência de que poderia ser preso. Entregaram sua cabeça para apaziguar as coisas entre executivo e judiciário.  2) Dória articulava com o STF a queda de Bolsonaro, 3) os generais de fato não prestam, 4) Paulo Guedes, de certa forma, colaborou com a inércia do governo contra o Supremo e pareceu favorável — pelo que foi transcrito, a menos — à perda de direitos dos não vacinados. Conseguiram atrapalhar e acabaram com tudo, passou da hora de agir e, a cada recuo, o establishment avança mais e mais”.

O deputado federal Cabo Junio Amaral reagiu às revelações, dizendo: “Paulo Guedes afirmou que agiu para desarticular um plano de impeachment comandado por Maia e Doria contra o Presidente Jair Bolsonaro. Duas desgraças desse país aos quais está reservada a latrina da história. Imundos!”

O músico Roger Rocha Moreira comentou: “Paulo Guedes diz que desmontou plano de impeachment contra Bolsonaro comandado por Maia e Doria. O buraco é muito mais embaixo. E é fundo”.

O investidor Leandro Ruschel questionou: “Qual é o nome que se dá a um movimento, por baixo dos panos, que une líderes do Judiciário, Legislativo e governador da oposição para derrubar um presidente? É o que relata Paulo Guedes à revista Veja. Qual foi o papel de Moro no movimento para derrubar o presidente, relatado por Guedes em entrevista?”. Ele acrescentou: “A entrevista do Paulo Guedes deixa claro quem fez ato antidemocrático para derrubar o presidente. Maia odeia o Paulo Guedes porque ele desarmou a bomba do impeachment, que Maia costurou junto com membros do Judiciário e governadores, como Doria, segundo sugere entrevista de Guedes à Veja. Mas essa bomba foi desarmada a qual custo? Quem manda no Brasil, hoje? O relato de Paulo Guedes à Veja é gravíssimo e expõe tentativa ilegal de derrubar o presidente. O relato de Guedes, como testemunha primária e agente dos acontecimentos, confirma a nossa suspeita de movimento coordenado para derrubar o presidente. Isso explica a perseguição policial aos apoiadores do presidente e o que ocorre no Brasil nos últimos meses”.

O advogado Fábio Talhari perguntou: “Precisa desenhar o que 5TF e CN pretendem?”

O jornalista Davy Albuquerque, do Conexão Política, disse: “O Brasil precisa saber do que realmente está acontecendo! Paulo Guedes diz que desmontou plano de impeachment contra Bolsonaro comandado por Maia e Doria”.

O economista Rodrigo Constantino afirmou: “Guedes é o cara! Jogou no ventilador, e fica a questão: como Doria poderia saber de algo do STF?! Era um golpe em curso?! O projeto de ditador chinês teve a resposta que merecia”.

Neste contexto, a deputada Bia Kicis alfinetou parlamentares: “Aguardando ( sentada) ver os Parlamentares que dirigiram palavras pesadas de ataques ao Presidente Bolsonaro há pouco dirigirem 10% dessa indignação aos Ministros do STF que têm usurpado atribuições do Parlamento, do Executivo e protagonizado decisões arbitrárias”.

Bárbara, do Canal Te Atualizei, disse: “Dória ligou para o Paulo Guedes pra dizer que em 2 meses o presidente cairia e que o supremo faria isso. Gente, COMO O DÓRIA PODERIA SABER DISSO? Como assim o STF planejava o impeachment do presidente?”

A advogada Fabiana Barroso chamou de herói o ministro Paulo Guedes, e citou uma das frases do ministro a Dória: “Vai governar São Paulo, cara. Deixa de ser maluco”. 

O cientista político Silvio Grimaldo ponderou: “O depoimento do Paulo Guedes só pode ser duas coisas: sua carta de demissão, tocando f*-se, "ou o PR fica com esses merdas covardes ou comigo". ou, a pedido, ele está falando aquilo que o Jair não tem autorização para falar”. Grimaldo também ironizou: “Paulo Guedes está colecionando as bolas que a galera tem deixado cair pela esplanada. Jogando a mer* toda no ventilador, esse fedelhão herói demais”.

O economista Ubiratan Jorge Iorio afirmou: “Conhecendo o ministro como conheço, asseguro que ele jamais diria coisa tão grave se não fosse verdade. Maia e Doria são INIMIGOS do Brasil”.

Lilo, do canal Lilo Vlog, questionou: “Paulo Guedes falando que recebeu a ligação do Doria. Será que o Moro recebeu ligação parecida?”

O ativista Alan Lopes afirmou: “O plano de Dória, Maia e STF é destruir a economia para estabelecer um ambiente caótico e darem o golpe. Estão desesperados com a recuperação da economia e consequentemente com o crescimento da popularidade de Bolsonaro. As declarações de Guedes sobre o golpe precisam de resposta”. 

O deputado federal Daniel Silveira destacou uma fala de Guedes, que comentava a interferência do Supremo Tribunal Federal em competências do Executivo: “'Vem o ministro do Supremo e diz que não pode. É um absurdo. Quem controla as tarifas somos nós. O povo brasileiro votou no plebiscito que quer ter arma”. Guedes acrescentou: “Isso é um caso absurdo de interferência. Isso está errado. Tarifa de importação quem bota sou eu. Não preciso nem do Congresso para fixar a tarifa”.

A repórter Yasmin Alencar avaliou: “Em entrevista à Veja, Paulo Guedes disse que desmontou um plano de impeachment contra Jair Bolsonaro que estava sendo comandado por Maia. Em julho, meu amigo Allan dos Santos denunciou esse golpe e recebeu descrédito por parte da mídia. Nada como um dia após o outro”.

O deputado federal Filipe Barros comentou: “Rodrigo Maia é o que há de pior na política brasileira: arrogante, mimado e dissimulado”. A advogada Fabiana Barroso respondeu: “Acho que é mais grave, com a entrevista de Guedes a Veja, é um conspirador que armou derrubar um Presidente democraticamente eleito. É preciso investigar, isso não pode passar como se nada fosse”.

Ravox Brasil avaliou: “ABRAHAM WEINTRAUB - A CORAGEM. Depois do relato do Paulo Guedes à revista Veja, onde ele citou o que disse o Abraham Weintraub numa reunião, minha admiração aumentou ainda mais! @AbrahamWeint, nós não estávamos errados, você é o cara! O Brasil precisa mudar esse rumo!”.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...