quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

Deputados, jornalistas, Lira, Guedes e general debatem e se pronunciam sobre autonomia do Banco Central


A Câmara dos Deputados aprovou hoje, com 339 votos, a proposta de autonomia do Banco Central, logo após a eleição de Arthur Lira para a presidência da Casa. A medida é veementemente apoiada pelo presidente Jair Bolsonaro e por Paulo Guedes, uma vez que pode auxiliar de maneira categórica para a estabilidade da moeda e o controle da inflação. 

O ministro da Economia explanou: “A autonomia do Banco Central é um projeto antigo, um sonho de mais de 40 anos. É um projeto decisivo para garantir estabilidade monetária do país, para garantir o poder de compra da moeda, dos salários, das aposentadorias e até das execuções orçamentárias”.

Ademais, ele ressaltou: “A autonomia é uma garantia de que aumentos setoriais e temporários, como material de construção e supermercados, não devem se transformar em aumentos permanentes e generalizados, que é a espiral inflacionária. O Banco Central está sendo restabelecido com uma boa governança monetária e isso é momento de celebração”.

O novo presidente da Câmara comentou: 

“Muito se especulou que a eleição das novas mesas do Congresso significariam o triunfo da “politicagem”, em sua pior acepção. A realidade está mostrando o contrário. A aprovação da independência do Banco Central representa justamente a blindagem da instituição de quaisquer ingerências políticas, uma conquista histórica do país, longamente acalentada e finalmente alcançada agora.

É fruto de uma postura republicana de desprendimento do Executivo e de engajamento do Legislativo, emitindo um sinal claro para o mundo de que o Brasil está avançando em sua governança e previsibilidade.

O trabalho conjunto em torno de pautas centradas nos mais elevados interesses nacionais é a melhor resposta que as instituições podem dar para que o país supere suas dificuldades e recupere sua prosperidade para o nosso povo”.

O ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, comentou: “O Banco Central Independente é FUNDAMENTAL para a tigrada parar de ‘facilitar’ a vida dos donos de banco. Qual a razão dessa turma ter bancadas no Congresso? Por isso a tigrada está brava. Vai secar mais uma tetinha”.

A deputada Carla Zambelli anunciou: “Aprovado na Câmara, por 339 votos a 114, o texto-base do projeto que prevê autonomia do Banco Central, que veio do Senado! O projeto é fundamental para aumentar a confiança no Brasil e atrair investimentos. Vamos aos destaques!”.

O deputado federal Sargento Fahur disse: “Aprovado agora na Câmara dos Deputados a autonomia do Banco Central”.

Raquel Stasiaki, mestre em Direito e Economia, comentou: “O deputado Ivan Valente (PSOL-SP) chamando o Paulo Guedes de mentiroso, o IVAN VALENTE. Mencionando que a autonomia do Banco Central agrada somente ao mercado. O quê o PSOL entende de liberalismo econômico?”.

O deputado federal Luiz Lima relatou: “Aprovamos agora no Plenário, por 339 votos a 114, o projeto de autonomia do Banco Central, definindo mandatos do presidente e dos diretores com vigência não coincidente com o mandato de presidente da República. PT, PSB, PDT, PSOL, PCdB e Rede naturalmente foram do contra”.

Henrique Meirelles, ex-ministro da Fazenda, elogiou: “A aprovação da autonomia do Banco Central pelo Congresso é um dos mais importantes avanços institucionais dos últimos anos. Alinha o Brasil às economias mais relevantes do mundo e contribui para gerar estabilidade, maior confiança na nossa economia e atrair investimentos”.

O advogado Fábio Talhari informou: “Foi votado um destaque do PT, que sabotaria a autonomia do Banco Central. A autarquia tem que se preocupar com política monetária, inflação, taxa básica de juros e NÃO com taxa de desemprego ou política fiscal (que ficam a cargo do Ministério da Economia). Perderam mais uma. NÃO”.

O deputado Marco Feliciano comemorou: “A Câmara dos Deputados votará a autonomia do Banco Central! Como eu sempre disse, com Arthur Lira destravaríamos o Brasil!!! A parceria do Governo Bolsonaro com o Congresso aprovará hoje a autonomia do Banco Central. Desde 1989 se tenta isso sem sucesso. E a Eliane Cantanhêde afirma em seu artigo hoje que “tudo anda para trás”. Em qual planeta vc vive, minha cara senhora?!?! Hoje é dia de aprovarmos a independência do Banco Central e colocarmos o Brasil no seleto grupo das nações desenvolvidas que tem uma autoridade monetária independente. Brasil!”

O ministro General Luiz Ramos afirmou: “Após mais de 30 anos de discussão, a autonomia do Banco Central foi o tema da nossa reunião. Só o Presidente Bolsonaro teve a coragem de apoiar o BC e levar adiante essa pauta. Vamos em frente! Em mais uma demonstração de compromisso com o Brasil, o trabalho do nosso Presidente Bolsonaro teve mais um êxito: o projeto de Autonomia do Banco Central foi aprovado hoje  no plenário da Câmara dos Deputados com 339 votos favoráveis”.

No dia 8 de fevereiro, o ministro havia relatado: “Terminamos esse dia proveitoso, com uma reunião na presidência da câmara, com o Pres Arthur Lira, Min Paulo Guedes e Min  Roberto Campos. Pauta relevante: autonomia do Banco  Central, novo ambiente político e favorável ao Brasil”.

O deputado Paulo Eduardo Martins disse, durante a votação: “Melhor focar na autonomia do Banco Central. Esquerda acionou o kit obstrução.  É sempre assim quando a matéria é positiva para o Brasil e antipopulista. Acredito que vamos aprovar”.

O advogado Maurizio Spinelli ironizou: “Há 30 anos se discute a autonomia do Banco Central no Brasil, mas a votação sobre o tema só vai ocorrer hoje. Esse Bolsonaro não sabe articular mesmo”.

Eduardo Bolsonaro, ao noticiar encontro com Arthur Lira, argumentou: “O Brasil necessita das reformas para destravar a economia e ter caixa para combater a pandemia”.

Bárbara, do Canal Te Atualizei, relatou: “Nesse momento a esquerda tentando obstruir a votação que dará autonomia ao Banco Central... É muito jogar contra o Brasil. Difícil!”.

O deputado Bibo Nunes comemorou: “Hoje, a Câmara Federal começa a trabalhar a favor do Brasil. Hoje deverá ser encaminhada a Reforma Administrativa e autonomia do Banco Central. O melhor está por chegar! Urubus de freio puxado…”

Luan Sperandio, do Instituto Líderes do Amanhã e do Ideias Radicais, disse: “A esquerda, na reforma da previdência, espalhou fake news de que o brasileiro trabalharia até morrer sem aposentar. No Marco do Saneamento, inventaram que a água seria privatizada.

Agora dizem que o Banco Central será entregue aos banqueiros. Precisam de mentiras para sustentar a ideologia! Em 2014 o PT espalhou mentiras sobre a autonomia do Banco Central para atacar Marina Silva. Hoje Guilherme Boulos espalha fake news sobre um projeto que apenas adequa a instituição no Brasil com o que é feito no restante do mundo. 7 anos e a esquerda não evoluiu nada”  ¯\_(ツ)_/¯

A deputada estadual Alana Passos disse: “IMPOSTOS? AQUI NÃO! O Presidente Jair Bolsonaro e o Ministro Paulo Guedes estão dando aula de como conduzir um país. Iremos nos recuperar de todo o caos criado por desgovernos passados! Eu acredito e confio no nosso Capitão! Quem mais aí está comigo nessa?”

Roberto Jefferson, presidente do PTB, divergiu da maioria dos apoiadores de Bolsonaro e apontou: "Banco Central "independente" sempre foi meta da esquerda fabiana no Brasil. Botaram um bode na sala - marxistas ameaçando aparelhar a instituição - para aceitarmos, agradecidos, submeter nossa política monetária aos globalistas. Nos enganaram muito. Não mais. Somos contra. Evitar ‘interferência’ não justifica retirar a soberania do povo na política monetária. Quem quer estabilidade, elege gente responsável, como Bolsonaro. Mas, obrigar um auxílio emergencial depender da anuência de um técnico "independente" e não de um Ministro de Estado é loucura. Decisão estritamente técnica só existe depois que decisões políticas definem quais as metas e os sacrifícios toleráveis. É assim para tudo. Banco Central independente é deixar a decisão política fora do controle democrático nacional, determinada conforme outros interesses. Estabilidade ou expansão monetária deve ser decisão soberana, determinada pelos legítimos interesses políticos e corpo técnico especializado próprio de cada país, com fiscalização de seu povo e suas instituições. Banco Central independente é eliminar prestação de contas ao povo”.

Raphaël Lima, do canal Ideias Radicais, afirmou: “A esquerda urra que dar independência ao Banco Central coloca ele na mão de banqueiros. Implícito nisso, a esquerda diz ‘Deixem o Banco Central com a gente’. Em tempos de Bitcoin em máxima histórica, que esse seja um momento pra se perceber que a existência do BC é o problema. Se existe um órgão que compulsoriamente controla a moeda, ele vai estar sob controle de alguém, e esse alguém vai usar isso para seus interesses. É por isso que BCs existem, aliás. Não são uma ocorrência de mercado. Que sejam fechados”.

O jornalista Vinicius Mariano afirmou: “Arthur Lira acaba de anunciar que amanhã a Câmara irá votar a independência do Banco Central, aprovada pelo Senado no ano passado. Fica evidente que o problema nunca foi o Bolsonaro, mas sim o Nhonho que travava a pauta. Que seja mandado ao ostracismo político e não volte mais”.

O vereador Carmelo Neto disse: “Importantíssima a aprovação da independência do Banco Central para blindar o banco das crises políticas e impedir que o governante do momento altere a taxa de juros para se beneficiar no período eleitoral. O presidente Jair Bolsonaro, como sempre, pensando no Brasil e não na próxima eleição”.

A deputada petista Erika Kokay anunciou: “Acabo de votar NÃO à autonomia do Banco Central. É inadmissível que o BC fique submetido aos interesses da banca privada, totalmente “autônomo” dos anseios do povo brasileiro, sem qualquer compromisso com um projeto de desenvolvimento nacional”.

O vereador e ex-senador petista Lindbergh Farias seguiu a mesma linha: “Hoje o congresso nacional deve votar a autonomia do Banco Central. É um retrocesso gigantesco para o Brasil. Não é autonomia, é entreguismo! O governo se abstém de dirigir a política monetária do país e deixa nas mãos dos bancos privados”.

O deputado Felipe Rigoni discorreu: “A autonomia do Banco Central vem na hora certa. Os efeitos do Pix na desburocratização da economia e o impacto da taxa de juros na geração de empregos na construção civil mostram como uma boa gestão, tendo liberdade para inovar, pode fazer a diferença na vida dos brasileiros”.

A deputada Paula Belmonte disse: “Estamos analisando neste momento o projeto de lei que determina autonomia do Banco Central. A mudança vai trazer independência, melhorar nossa gestão financeira e desenvolver nossa economia. O plenário da Câmara APROVOU a autonomia do Banco Central. Agora, vamos aos destaques! Votei SIM para a urgência do projeto que determina a autonomia do Banco Central. A proposta tem o objetivo de deixar o sistema financeiro mais eficiente  e estável, o que vai resultar em emprego e renda. Há 41 anos nascia o Partido dos Trabalhadores. Chegou no poder prometendo dias melhores, mas foi uma TRAGÉDIA para o país. Corrupção, ineficiência e crise econômica foram deixados como legado. Parabéns PT!”

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...