segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

Juíza, deputados, ativistas e cientista político rebatem Barroso sobre Venezuela e conservadorismo


As declarações do ministro Luís Roberto Barroso, do STF, de que a Venezuela seria uma ditadura de direita, chocaram a sociedade e levaram as pessoas a se manifestarem pelas redes sociais, questionando as motivações do ministro. 

A juíza Ludmila Lins Grilo compartilhou uma publicação de Nicolás Maduro e rebateu: “Ouvi dizer que a Venezuela é uma ditadura de direita conservadora. Pelo visto, direita-conservadora-socialista-marxista, a verdadeira bola quadrada”. Na publicação, Maduro dizia: “200 anos atrás nasceu Karl Marx. Graças a ele, a história tomou um novo rumo. Ele não se contentou em interpretar a realidade, tentou transformá-la. Essa também é a revolução. Feliz aniversário, Marx. O socialismo te saúda”. [Hace 200 años nació Karl Marx. Gracias a él la historia tomó un nuevo camino. No se conformó con interpretar la realidad, trató de transformarla. De eso se trata también la Revolución. Feliz cumpleaños Marx. El socialismo te saluda]”.

O deputado federal Marco Feliciano afirmou: “Barroso, com a data máxima vênia, sua visão política da Venezuela é no mínimo míope! Dizer que o governo deles  é de direita é o mesmo que dizer q V.Exa. é um conservantista tradicional. Se o que diz fosse verdade, por que os partidos de esquerda brasileiros apoiam Maduro?. O deputado acrescentou: “Há uma escola ensinando que o socialismo salvará a Terra, que os geno****s comunistas foram necessários e que a ditadura do proletariado é uma coisa boa. Lá também ensinam que a Venezuela é uma ditadura de direita. O ministro do STF, Luis Roberto Barroso, é pós-doutor nela. O que esperar de um Judiciário que solta presos por causa da pandemia e manda prender cidadão de bem por irem às ruas ganhar seu ganha pão??? E o povo reclamando que o Barroso disse que a Venezuela é de direita...”.

O jurista Fabricio Rebelo perguntou: “Alguém, por favor, sabe dizer se, nas definições da "novilíngua", junto com a Venezuela ser uma "ditadura de direita", Fidel e Guevara já viraram capitalistas ou ainda podemos dizer que eram mesmo de esquerda?”.

O economista Alan Ghani ironizou: “Depois do ministro Barroso afirmar que "a Venezuela é uma ditadura de direita, conservadora", lanço a campanha: #advogadopalomanostf”

O cientista político Silvio Grimaldo ironizou, dizendo: “Fico imaginando quantas conversas e  vídeos do Filipe Neto o ministro Luis Roberto Barroso teve que ver para aprender que - e acreditar - que a ditadura socialista da Venezuela é um regime conservador e de direita. Não espero muita inteligência dos 11 do STF, mas Barroso supera as expectativas.

Da m**** monstruosa que o Barroso falou sobre a Venezuela, o que se conclui é que para  o magistrado a ditadura vizinha não é esquerdista o suficiente. Prestem atenção. Esse é mais um dos 11 gênios encastelados na corte que decidem o destino desta nação”.

O publicitário Luiz Galeazzo disse: “Ministro Barroso dizendo que Venezuela é uma ditadura de direita é um truque velho da esquerda: quando tudo dá errado, é pq não era o verdadeiro socialismo. Fizeram a mesma coisa com o Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães”.

O perfil Caneta Desesquerdizadora explicou: “Para Luís Roberto Barroso, ministro do STF, a ditadura socialista da Venezuela é "conservadora", uma "tirania de direita com discurso disfarçado". É sempre assim: quando a esquerdice dá errado tentam transformar em "de direita". Com o nacional-socialismo foi igual”.

O internauta Éverton Dropa brincou: “Se a Venezuela é uma ditadura de direita, então a bola quadrada do Kiko existe”.

O cientista político Bruno Garschagen, autor dos best-sellers “Direitos Máximos, Deveres Mínimos” e “Pare de Acreditar no Governo”, questionou: 

“O que dizer quando a ignorância soberba é manifestada por um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e não apenas pelos “Felipes Netos” da vida? Num trecho de uma live que está circulando por aí, o ministro do STF, Luís Roberto Barroso afirmou que a “Venezuela era conservadora”, “desde o tempo de Chávez. Para mim, aquilo sempre foi uma tirania de direita com um discurso disfarçado”.

Talvez, talvez, eu não possa ensinar Direito ao ministro Barroso, mas política, certamente, eu posso. Acompanhem-me. O que era a Venezuela no “tempo de Chávez”? Depois de três décadas de pujança econômica, entre o fim da década de 1950 e início da década de 1980, o país mergulhou numa crise econômica severa que abriu as portas para a eleição de Hugo Chávez em 1998. A política de estabilidade do início do seu governo foi substituída por profunda crise econômica, inflação descontrolada, aumento da pobreza, crise alimentar e humanitária, escalada da violência e da corrupção, controle do Estado, perseguição e prisão de adversários. Em 2013, Chávez morreu de câncer. Seu vice, Nicolás Maduro, assumiu o poder e não mais saiu. O que passou a ser a Venezuela no tempo de Maduro? Tudo o que era ruim, ficou pior. Chávez se qualificava como socialista e antiimperialista e fundou o Partido Socialista Unido da Venezuela, que presidiu até a sua morte. Foi substituído na presidência do país e do partido por Maduro, que assumiu o legado socialista de Chávez.

A Venezuela no tempo de Chávez e de Maduro continua a ser a mesma coisa: um país com governo socialista cujo corolário é pobreza, desigualdade, fome, violência, prisão, mortes, crises política, econômica, humanitária. Ou seja, NADA do que aconteceu na Venezuela de Chávez e Maduro é conservadorismo. O ministro Barroso, que é “progressista”, não deveria se aventurar a opinar sobre o que desconhece ou finge desconhecer (com propósito ideológico). Ele que, em 2020, fez uma live com Felipe Neto e, ao que parece, se deixou influenciar. Em se tratando de ignorância soberba, é triste quando um ministro do STF se mostra à altura de um Youtuber de 33 anos que se recusa a amadurecer”.

O presidente do PTB, Roberto Jefferson, brincou: “A melhor piada da semana saiu de Barroso, ministro do STF: “Coronel Hugo Chaves e Maduro da Venezuela são de DIREITA.” Comunista e de esquerda é o Trump. O ministro Barroso afirmou que não acredita que a Venezuela seja uma ditadura de esquerda, e que na verdade seria uma "tirania de direita".

Barroso também acredita que as urnas são confiáveis, que Dilma é honesta e que Lula é inocente. Deve acreditar em Coelhinho da Páscoa também. Os satanistas do Soviete Supremo, sendo 11, falam mais que os 600 congressistas. São uns papagaios, arrogantes, pedantes, prepotentes, corruptos, homúnculos, sem estatura moral para envergar a sagrada toga da Justiça”. 

O perfil George S Patton disse: “Ao Ministro Barroso: ‘O comunismo na Venezuela surgiu por iniciativa de Hugo Chávez, inspirado no castrismo/guevarismo e gramscismo e, após sua vitória nas eleições para a presidência em 2006, com a finalidade de unir todos os partidos que apoiavam a Revolução Bolivariana’”.

RODRIGO MOLLER, do Movimento Brasil Conservador, questionou: “Você já parou pra pensar que o mesmo cara que diz que as urnas eletrônicas são 100% confiáveis é o mesmo que disse que a Venezuela é uma ditadura de direita, Felipe Neto é um cara legal e amigão do João de Deus? Tamo ferrado com esse ministro do STF”.

O perfil Jornal no Ataque ironizou: “De acordo com Luis Roberto Barroso, Fidel Demônio Castro era da extrema direita conservadora. Essa foto mostra seu encontro com o ditador ultraconservador Maduro, presidente legítimo(Rolando de rir no chão) da Venezuela”.

O advogado Emerson Grigollette disse: “Segundo um certo julgador, não há dúvidas de que a Venezuela é uma tirania "de direita". Se não é ignorância (e suponho que não seja) como alguém assim tem condições de julgar algo por aqui?”

O vlogger Luiz Camargo publicou uma compilação de frases atribuídas ao ministro Luis Roberto Barroso: “A Venezuela é conservadora desde os tempos de Chávez, pra mim, lá é uma tirania de direita”; “João de Deus sabe extrair o que há de melhor das pessoas”; e “As urnas eletrônicas não são passíveis de fraude, não tem porque desconfiar do processo eleitoral brasileiro”.

Bernardo P Küster, diretor de opinião do Brasil sem Medo, protestou: “Barroso é burro ou mal intencionado ao afirmar que ditadura da Venezuela é de direita”.

O perfil “Pequena Gardenal” satirizou: “Se a Venezuela é 'conservadora', o Lula é a alma mais honesta do mundo…”.

Sarita Coelho, servidora federal concursada e jornalista, publicou um vídeo com militantes de esquerda cantando em apoio a Maduro e comentou: “Segundo o iluministro e outros grupelhos, este pessoal é da direita conservadora”.

Luciano Chaplin, por sua vez, comentou: ‘Venezuela Ditadura de Direita, risos. Essa é a piada do ano”.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...