domingo, 14 de março de 2021

Roberto Jefferson desmoraliza Lula, retruca Fachin, alfineta STF e detona PT


O presidente do PTB, Roberto Jefferson, criticou severamente o ex-presidente Lula após decisão do ministro Edson Fachin, do STF, que resultou na anulação de condenações da Operação Lava Jato e o tornou elegível para 2022. Ademais, ele retrucou declarações emitidas pelo petista por ocasião de discurso em sindicato e coletiva de imprensa.

Jefferson avaliou:

“Abriram na marra a ratoeira e deixaram o rato sair. Mas isso não significa que o rato tenha deixado de ser sujo. Sensacional essa frase que vi circulando: ‘Lula tem o Fachin e o queijo na mão’. A consequência do ato praticado por Fachin é absurda: devolveu ao ex-presidente Lula os seus direitos políticos, possibilitando que seja candidato em 2022, levando adiante um projeto de poder que aparentemente agrada ao próprio ministro. Mas Lula não foi inocentado ainda. O Risco PT e a sentença de Fachin levaram o dólar turismo a R$ 6,43 em SP. Euro chegou a R$ 7,67. Se estivesse disparando em relação a alguma medida do presidente, já estariam espancando Bolsonaro. Mas não se vê a imprensa responsabilizando Fachin pela derrocada do real. Fachin pediu que o julgamento sobre a suspeição de Moro seja adiado e que o Plenário do STF decida sobre esse processo. Já a anulação das sentenças de condenação de Lula ele preferiu fazer sozinho mesmo, sem o Plenário”.

Outrossim, ele repreendeu a velha imprensa por seu papel na trama de Lula: “A imprensa arregada já fala no lançamento de uma nova Carta ao Povo Brasileiro, como a de 2002, para convencer o mercado sobre a candidatura petralha. A carta já teve seu conteúdo vazado: ‘Aos brasileiros, Prometo roubar menas. É verdade esse bilete’”.

Ele referenciou, ademais, uma mensagem do Pastor Silas Malafaia para Lula: "Você pode escapar da justiça do homem que é falha, mas você não vai escapar da justiça divina. E Lula, quero dizer que o evangelho que nós pregamos liberta o homem da cachaça, que destrói o corpo, a mente e a família".

No que tange à culpabilidade do petista: Jefferson salientou: 

“Lula foi descondenado, mas não inocentado. Ele ainda é o dono do Triplex, do Sítio de Atibaia, das palestras fake, das obras no Instituto, tudo financiado pelas tetas da Odebrecht e da OAS. Lula estava ontem sem máscara em uma entrevista aglomerada dentro de um sindicato que não exerce atividade essencial. Em vídeo mostrado pela CNN, Lula afirma que ‘não vai enganar o povo mais uma vez’. Já está enganando só de dizer que não vai enganar, pois até a estrela da bandeira petista sabe que ele vai sim enganar todo mundo. 

Vamos destacar as diferenças entre nosso presidente Bolsonaro e o PT: Em 2014, Dilma gastou R$ 318 milhões na campanha. Em 2018, Bolsonaro gastou R$ 2,8 milhões. 

Os gastos totais de Bolsonaro em 2018 não pagariam o cafezinho superfaturado do PT em 2014. A tag #LulaVergonhaDoBrasil está bombando. E vai ficar bombando até outubro de 2022. Gostei dessa frase que li na página da deputada Carla Zambelli:

‘O cara é tão ladrão, mas tão ladrão, que até a defesa dele é baseada em mensagens roubadas’. A grande mídia e os grandes jornais criticaram a entrevista de Lula, ‘o mais do mesmo’. Todos apostam numa terceira via, fora de Lula e Bolsonaro. Pela entrevista que li de Mourão,  hoje na Folha, habilidosamente ele se coloca como essa alternativa. Ele é a cara do CENTRÃO. O Moro fracassou como político, se meteu numa vida para a qual não se preparou. A justiça do povo, sua sentença, é o voto. Mas Moro acertou na Lava Jato, suas sentenças foram corretas. O próprio Gilmar, que hoje o acusa, impediu que Dilma nomeasse Lula ministro, para escapar de Moro”.

Conforme o político, um retorno de Lula à Presidência da República é inviável: 

“O ministro Fachínora, em decisão monocrática, deu alforria para Lula. Seus processos prescreverão no ano que vem. Se o povo acordar o Leão e ele rugir, o Pleno do STF miará como um gatinho angorá. Nossas Forças Armadas não prestarão continências a um ladrão. Tenham certeza disso. Os Leões estão preparados para rugir. Mas só o farão se houver um forte clamor do povo. Não creiam em atitudes isoladas. Tudo se fará de acordo à vontade do povo. Vox Populi, Vox Dei. Essa tag é daqui até as eleições: #LulaVergonhaDoBrasil.

‘Lula sem máscara. Aglomeração. Irresponsáveis’. Não, você não verá essa crítica na extrema imprensa”.

Ao mencionar uma matéria do UOL que afirmou que Lula exagerou e fez declarações imprecisas em discurso, Roberto Jefferson protestou: 

“Quando é um conservador ou defensor do presidente Bolsonaro, é "falso", é "desinformação", é "disseminação de fake news". Com Lula é "exagero", é "imprecisão". Tomem vergonha na cara!!!”.

Para, para, para, para tudo, apaga a luz, apaga tudo!!! Manchete da Folha: ‘Lula usa dados falsos sobre voto de Fachin e erra sobre variante de Manaus’. Extrema imprensa checando informações da esquerda? E dizendo que são falsas? E DE LULA??? Será que é um site fake?

Já que Lula gosta de metáfora futebolística: O time de Lula perdeu porque meteu a mão na bola e o juiz marcou pênalti. O VAR confirmou a infração. A CBF garantiu o resultado. Mas o STJD anulou a partida porque o jogo era pra ter sido no Mané Garrincha e não na Arena da Baixada”.

O presidente do PTB assestou, ademais, como entende que eventual candidatura de Lula não é capaz de derrotar Bolsonaro: 

“Primeira pesquisa com Lula tornado candidato pelo STF e olha aí a projeção de segundo turno. Bolsonaro com 43% e Lula com 39%. Cadê o invencível? Deixa ele vir. Vamos vencer a esquerda.

Nosso presidente Messias Bolsonaro sancionou lei sobre vacinas. O governo está na luta para garantir milhões de doses para os cidadãos. Mas a imprensa vai continuar batendo e batendo porque o que eles querem é Lula e a esquerda. Mas não vamos arredar pé desta luta. 

Na entrevista, Lula disse que virou uma espécie de vírus. É verdade. Ele é um vírus que rouba a saúde financeira do País.

Lula debochou da cara da Miriam Leitão. Mas ela continua sonhando com o PT ganhando as eleições e depois decretando o ‘controle social da mídia’. Esses jornalistas da extrema imprensa sofrem da Síndrome de Estocolmo.

A entrevista de Lula é atividade essencial? Foi liberada por aqueles que fecham comércio e impedem as pessoas de trabalhar?

A extrema imprensa que se derrete por Lula, que se arrasta aos seus pés, que adora o som da voz rouca do petralhão, só tomou pancada na entrevista. Mas acho que essa gente gosta de apanhar. Lula bate neles e eles ainda ficam gritando ‘Lula lá…’.

Que coisa vergonhosa o Rodrigo Maia se arrastando aos pés do Lula. Já abandonou o Mandetta? Já largou o Dória? Amanhã já vai estar vestido com uma camisa do Che Guevara e aparecer barbudo. Ao contrário do que Lula disse, a esquerda não consegue formar frente ampla, só consegue formar fundo amplo.

Como Lula quer ser presidente? Mal consegue falar. Lula disse que Ciro não é ‘professor de Deus’. Ele mesmo acha que é o professor de Deus. Aliás, Lula não acha que é professor de Deus. Acha que é o próprio Deus”.

Outrossim, Roberto Jefferson salientou a discrepância no tratamento dado a Lula pela velha imprensa: 

“Está tendo aglomeração na entrevista do Lula? Dá pra ouvir muitos aplausos. Será que os sites da extrema imprensa vão falar que tinha gente aglomerada? Lula está sem máscara. Vão chamar ele de geno**? A petralhada está subindo uma tag sobre uma entrevista do Lula. Por que ele não vai falar em uma praça pública? Sai das redes e vai ao encontro do povo, Lula! Você não é o ‘salvador’?

Primeira pesquisa já com Lula como candidato pelo partido do STF: Bolsonaro com 31% e Lula com 21%. E não adiantou muito. Huck e o calcinha também estão patinando. A campanha para reeleger nosso presidente já começou. Vamos arregaçar as mangas, patriotas. Essa luta da esquerda é contra o povo de bem do Brasil. O senador Marcos do Val apresentou projeto de lei para evitar que ministros do STF concedam decisões monocráticas que possam anular atos processuais de grandes operações. Precisamos apoiar a aprovação deste projeto. 

Os petês estão indignados e enraivecidos com o editorial do Estadão, que vem com o título ‘A ficha moral de Lula é suja’. Eles pensam que toda a imprensa vai se ajoelhar ao ladrão que só está livre porque aparelhou por completo a Suprema Corte. Chorem mais, petralhas.
A FICHA MORAL DE LULA É SUJA: Esse é o título do editorial do Estadão que deixou a petralhada e esquerda enfurecidas, inclusive muitos jornalistas com carteirinha do PT. Então se eles ficaram enfurecidos, vamos repetir isso o dia inteiro? 
A imprensa reclama tanto de Bolsonaro, mas é o PT e a esquerda que não tiram da cabeça a ideia de aprovar algum tipo de ‘controle dos meios de comunicação’. Se um dia a esquerda voltar ao poder, vai acabar com a liberdade dos jornalistas. Eles que não se iludam”.

No ensejo, Jefferson também criticou Gilmar Mendes, repreendeu Alexandre de Moraes, abordou o aparelhamento da Justiça realizado pelo PT e explanou o que pensa do STF: “Quero parodiar Zé Dirceu, vamos tomar o poder.
Lula não pode ser candidato.
Lula não pode ganhar a eleição.
Se Lula ganhar, não pode tomar posse.
Temos que tomar o poder.
Todo mundo já sabia qual seria o voto de Gilmar Mendes antes da sessão de julgamento. Isso não é motivo para declarar a suspeição de um juiz?

A procuradora regional da República e ex-integrante da Lava Jato em São Paulo, Thaméa Danelon, afirmou que a decisão de Fachin, que anula todas as condenações de Lula relacionadas à Operação Lava Jato, provoca insegurança jurídica no Brasil. E bota insegurança jurídica nisso!

A gente está numa pandemia dramática, caos na saúde, colapso de hospitais, mortes batendo recorde, mas nada disso é prioridade para o STF, e sim cuidar dos processos de Lula. E nada de a extrema imprensa nesta hora cobrar que o STF dê prioridade ao que realmente interessa.

O Nelson Ned devia segurar esse processo por dois anos, só pra sacanear o beiçola, que é o campeão da procrastinação no Soviet Supremis.

Não demora e o STF vai dar 48 horas para o presidente Bolsonaro explicar porque quer cometer a ousadia de concorrer contra o ‘líder’ do SPTF, Lula.

Ministros suspeitos julgando um juiz suspeito que condenou um ladrão que jamais inspirou suspeitas, mas sim certezas sobre os crimes que cometeu. O Brasil não é para amadores.
Gilmar Mendes não quis saber da anulação da condenação de Lula, e pautou para hoje o julgamento sobre a suspeição de Moro. Algum desavisado, ao ler isso, pode até acreditar que o sentimento que move Gilmar é o da Justiça e do cumprimento rigoroso da lei.
Para se ver como o PT aparelhou a Justiça. Daniel Silveira não roubou, mas fez duras críticas ao STF e foi preso. Já Lula roubou e também fez duras críticas ao STF. Está solto e ainda foi beneficiado com a anulação de suas condenações”. 

Nesta toada, ele voltou a explicitar como entende que o STF tem utilizado de inquéritos inconstitucionais para perseguir e intimidar aliados do presidente Jair Bolsonaro: 

“Vou começar a chamar o STF de SPTF. O problema no Brasil não é o foro privilegiado. O mais preocupante é o desaforo dos privilegiados, principalmente os do Judiciário. Há tempos estão segurando a votação do tal do fim do Foro privilegiado. O medo na Câmara era perder o foro especial e cair na Justiça comum. Com essa do Fachin, os parlamentares podem perder esse medo. Se não criticarem o STF, estão liberados para fazer o que quiserem. Painel da Folha publicou comentário em off de ministro do STF dizendo que a anulação da sentença de Lula dá novo fôlego aos inquéritos das fakes news e atos antidemocráticos. O off diz que inquéritos são uma ‘maneira de proteger as instituições’. 
Ou seja, jamais chegarão ao fim. Na verdade, a gente sabe quando serão encerrados os inquéritos das fake news e o dos atos antidemocráticos: somente se Lula ganhar em 2022. Com a reeleição de Bolsonaro, o STF manterá esses inquéritos vigorando e os usará como ferramenta para prender e amordaçar bolsonaristas”.

Neste contexto, ele rebateu ataques ao presidente Jair Bolsonaro: 

“Fachin, em sua tresloucada sentença, disse que ‘tão importante quanto ser imparcial é ser apartidário’. Pode escrever piada em uma sentença judicial? Em seu editorial, o Estadão culpa o presidente Bolsonaro pela decisão de Fachin que colocou Lula de volta no jogo político-eleitoral. Se cair um meteoro na Terra, a imprensa brasileira vai dizer que a culpa é de Bolsonaro. Jamais vi em toda a minha vida tamanha perseguição. Manchete do Estadão: ‘Caso de Lula pode ficar com juiz que anulou provas da Lava Jato’.  Os togados sequer se envergonham da tramoia para fazer de Lula candidato contra Bolsonaro”.

Dessa maneira, o político externou sua indignação com a omissão de senadores diante de arbitrariedades da Suprema Corte:  

“Em setembro/2019, o Senado votou uma PEC que limitava as decisões monocráticas dos ministros do STF. A PEC teve 38 votos a favor, mas não foi aprovada porque 26 senadores não compareceram e se omitiram de votar. Se tivesse andado, hoje não teríamos ministros abusando de seu poder.

Agora que foi tirada de Lula e do PT a bandeira da vitimização, vamos ver se ele, como candidato, vai dar as caras nas ruas. Vamos ver se vai parar de andar de jatinho e se vai pegar avião comercial. Será que ele fará campanha somente dentro dos sindicatos e nas redes sociais? A esquerdalha acordou indignada com a manchete na Folha afirmando que o ‘risco PT afeta cenário econômico’. O mercado logo vai acordar para o fato de que Lula não ameaça a vitória de Bolsonaro. Os brasileiros não elegerão aquele que liderou o governo mais corrupto de todos. O STF é hoje uma grave ameaça à integridade territorial de nosso Brasil. Nossa corte constitucional ‘venezuelana’ está criando republiquetas bolivarianas. O STF ameaça a integridade e a soberania nacional”.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...