quinta-feira, 3 de junho de 2021

Ministra de Bolsonaro, Damares repudia violações da CPI da Pandemia contra as médias Nise e Mayra


A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, divulgou nota de repúdio da Secretaria Nacional de Políticas Públicas para Mulheres aos atos de discriminação contra mulheres que ocorreram na CPI da pandemia no Senado Federal. A nota menciona a violência contra as médicas Mayra Pinheiro e Nise Yamaguchi e faz um apelo aos senadores. 

Ouça o texto da nota: 

Nota de repúdio

A Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres vem a público repudiar os atos de discriminação contra a mulher ocorridos no âmbito da Comissão Parlamentar de Inquérito da pandemia e nas redes sociais, considerando os depoimentos da Secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mayra Pinheiro e da médica, Nise Yamaguchi (convidada).

Assistimos com perplexidade trechos veiculados no âmbito da CPI e publicações em redes sociais que expressam interrupções, menosprezo, descrédito, conteúdos se***** e vexatórios, a exemplo dos recortes abaixo:

"Mas a senhora não sabe responder a absolutamente nada (...) Não soube dizer o que é o vírus, o que é um protozoário"

“Me sinto agredida, em um gabinete de exceção”

Outros termos foram publicados em “memes”, que por sua extrema violência tornariam essa nota um novo ato de violência.

Os atos de discriminação chegaram a ser praticados por parlamentares, em canal televisionado. Parlamentares esses que possuem obrigação constitucional de elaborar legislações que assegurem direitos e corrijam distorções seculares, como as que são cometidas contra as mulheres. O reflexo dos atos praticados em plenário chegou às redes sociais e ampliou a violência, reforçando uma cultura de ódio e de agressão às mulheres.

É importante ressaltar que o Brasil não pode tolerar que a violência contra as mulheres seja praticada sob o disfarce do humor, ou por arroubos político-partidários. A liberdade de expressão não pode ser confundida com a permissão para prática de ofensas, para calar uma mulher ou desqualificá-la.

Destaca-se ainda que no caso da Secretária Mayra Pinheiro (uma mulher que ocupa o segundo escalão do Poder Executivo) toda a situação caracteriza violência política contra a mulher, um problema social complexo que a Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres tem trabalhado para conscientizar e eliminar do cenário político brasileiro. Uma prática que nos coloca entre os países com uma das mais baixas representatividades das mulheres na política.

Por fim, fazemos um apelo aos Senadores da República e aos internautas! A cada palavra dita e a cada mensagem escrita, pensem nas mulheres! O Brasil, infelizmente, é o quinto país que mais mata mulheres no mundo e atos como esses influenciam e alimentam uma cultura de violência, que precisamos superar para que nossas mães, filhas e amigas sejam tratadas com dignidade em todos os ambientes. Digam, verdadeiramente, não a qualquer tipo de violência contra as mulheres.

Brasília, 02 de junho de 2021.

Cristiane Britto

Secretária Nacional de Políticas para as Mulheres do

Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...