quarta-feira, 16 de junho de 2021

Senadores Marcos Rogério, Flávio e Jorginho destroçam Wilson Witzel após o ex-governador fugir da CPI


Em coletiva de imprensa, os senadores Marcos Rogério, Flávio Bolsonaro e Jorginho Mello teceram severas críticas a Wilson Witzel e à cúpula da CPI da Pandemia, também conhecida como “CPI do Circo”, “CPI da Cortina de Fumaça” e “Tribunal de Renan Calheiros”, após o ex-governador “fugir” do embate em plena sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito.

O senador Flávio Bolsonaro salientou: “Ele veio ao Senado para tentar fazer os senadores de palhaços. Usou o palanque da CPI para mentir descaradamente e atacar o Governo Bolsonaro. Temos Renan Calheiros, um relator que responde a 17 processos, perguntando perguntinhas casadas para alguém investigado por desviar R$700 milhões no Rio de Janeiro em plena pandemia. Quando ele percebeu que o bicho ia pegar com ele, correu como covarde”

O senador Jorginho Mello, por seu turno, ressaltou: “Eu disse a ele que ele envergonha a Justiça. Na primeira oportunidade, fez a lambança que fez e foi cassado por unanimidade”.

Nesta toada, o senador Marcos Rogério fez severas críticas: “A CPI não apura fatos, evidências. O esforço é em sustentar narrativas. Não se busca evidências, provas. Hoje, trazem para a CPI um depoimento encomendado para sustentar narrativas acusatórias. Quando começam as perguntas que o colocam em xeque, ele simplesmente foge do embate. Se quiserem provas para incriminar o presidente Jair Bolsonaro, terão de fabricar, pois não há. Hoje, a farsa caiu. Gabas, do Consórcio Nordeste, foi blindado hoje nesta CPI”.

No ensejo, o parlamentar acrescentou: “Disseram ‘não’ à investigação de corrupção. Casos de polícia, mas, para a oposição, não interessa”.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...