quinta-feira, 22 de julho de 2021

Bolsonaro aponta como CPI está ‘fugindo’ de Ricardo Barros e detalha leviandade de senadores com ‘estelionatários’: ‘Guerra para me tirar daqui’


O presidente Jair Bolsonaro transmitiu, por suas redes sociais, entrevista que concedeu a uma rádio do Paraná. No vídeo, o chefe de Estado relata como Randolfe Rodrigues, Renan Calheiros e Omar Aziz estariam “fugindo” de Ricardo Barros, líder do Governo Bolsonaro na Câmara, expôs como parlamentares da CPI estariam instrumentalizando estelionatários para macular e incriminar o governo, e ironizou a estratégia da CPI de ir mudando o foco ao não encontrar crimes. 

Bolsonaro explicou como se dá a disputa pelo poder: “Tudo que falei no passado virou uma guerra, uma forma de contestar para me tirar daqui da cadeira. É o que faz a CPI atualmente: ela pega estelionatários que se encontraram em Brasília e buscaram uma maneira de vender um terreno na Lua. Não fizeram mais do que uma reunião no Ministério da Saúde e foi abandonada a ideia. Acreditar que um cabo tinha 400 milhões de vacinas para vender é acreditar em Papai Noel”.

Questionado sobre as acusações feitas por membros da CPI ao líder do governo, deputado Ricardo Barros, Bolsonaro disse: “É impressionante que Ricardo Barros tenha de recorrer à Justiça para poder ser ouvido na CPI (...). Mais do que um direito dele, a CPI tem dever de ouvi-lo. Ele é a pessoa certa para estar na CPI. Se eles têm tanta convicção de que nosso governo fez alguma coisa errada, tem de inquirir. Precisa ter alguma materialidade na denúncia: até que se prove o contrário, Ricardo Barros continua no governo”.

Outrossim, o mandatário retorquiu ataques relacionados às nomeações de seu governo: “Quando coloco militar, general, no governo, criticam que é mais um militar. Quando coloco parlamentar, reclamam que é parlamentar. Nós continuamos trabalhando dentro das quatro linhas da Constituição. Eu nunca falei em controle social da mídia”.

Bolsonaro relatou que seu governo recebeu documentos oferecendo a vacina Coronavac por metade do preço cobrado pelo instituto Butantan, e afirmou: “O Butantan foi oficiado por nós para que expliquem por que a matriz oferece a 5 dólares a vacina e por que eles vendem a 10 dólares a vacina. O Butantan nunca nos apresentou a planilha de preços, a cadeia para determinar o custo final. Há uma questão para ser investigada. Pelo que tudo indica no momento, é algo assustador que vem acontecendo no momento no Butantan”.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...