quarta-feira, 21 de julho de 2021

Paulo Guedes se exalta contra ‘manicômio’ e ‘inferno’, retruca ‘perversa engrenagem’ e defende reforma - Gov. Bolsonaro


Em pronunciamento sobre o resultado da arrecadação de junho, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o resultado indica uma forte recuperação da economia, como ele havia previsto que aconteceria. O ministro afirmou:  “O crescimento em V, típico da força da recuperação, inclusive nos colocando na certeza que vamos superar os níveis históricos arrecadados”. 

O ministro prosseguiu: “Vamos superar os níveis históricos de lá atrás, em 2015, desde que o PIB começou a cair, quando o Brasil começou a afundar. Vamos superar o nível de 2015. A arrecadação está indissociável do nível do PIB. O nosso trabalho, agora, é de arriscar para o outro lado. A receita do bolo, os vetores, é tributar a jabuticaba brasileira, há uma máquina de privilégios que está favorecendo os super ricos e taxando as empresas. As empresas são veículos de criação de empregos, de aumento de produtividade e salários dos trabalhadores, são máquinas de investimento e criação de renda, de inovações. Queremos reduzir os impostos sobre as empresas para que os super-ricos paguem”.

Paulo Guedes explicou: “Depois que o dinheiro saiu do circuito produtivo, ele tem de pagar impostos. O dono afluente, hoje, é isento. É a mais perversa engrenagem. Descobrimos privilégios na Previdência, nos bancos públicos, financiando os ‘campeões nacionais’, e descobrimos privilégios no sistema tributário brasileiro. Da mesma forma que as políticas públicas de crédito, da previdência”.

O ministro rebateu argumentos contrários à sua proposta, dizendo: “Podem dizer que já pagou na empresa, mas não quero que pague na empresa, quero que pague na física: 20 mil pessoas receberam quase 400 bilhões em dividendos. Vamos tributar com uma alíquota baixa, 20%. A tributação de pessoas jurídicas, na OCDE, é de 20 a 40%. Queremos baixar dos atuais 34%, de alguns setores, para 21,5%. E queremos subir de 0 para 20% o imposto sobre dividendos, que fica entre 20 e 40% na OCDE. Isso vai aliviar a tributação dos assalariados, que vão pagar menos. Desoneramos quase metade dos contribuintes brasileiros, que são os assalariados de baixa renda. Quem recebia R$2 mil de salário pagava impostos, mas quem recebia R$1 bilhão de dividendos pagava zero”.

Paulo Guedes explicou ainda a quem o imposto será aplicado e quem será isento: “Vamos isentar os profissionais liberais, os ‘pejotinhas’, o médico, o professor, o advogado. Estes, estão isentos, mas não os grandes escritórios de advocacia, as grandes empresas de consultoria. Por isso, estamos isentando os dividendos até R$20 mil. A partir daí, é quem tem recursos. Ninguém vai mexer no SIMPLES, no MEI. Estamos desonerando as empresas: queremos puxar os impostos entre 34% e 39% para 20%. Tiradentes morreu lutando contra o quinto dos infernos, que era de 20%”.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...