terça-feira, 3 de agosto de 2021

Senador Girão bate boca com Randolfe, confronta após Renan Calheiros pedir quebra de sigilo da Brasil Paralelo e denuncia perseguição à imprensa


Durante sessão da CPI da pandemia, também conhecida como “CPI do Circo”, “CPI da Cortina de Fumaça”, e “Tribunal de Renan Calheiros”, o senador Eduardo Girão propôs uma reflexão sobre os rumos da Comissão. O senador apontou que a CPI acaba de voltar de um recesso, e poderia aproveitar a oportunidade para corrigir as atitudes. Girão disse: “A CPI pode mudar seus rumos e deixar de ser um instrumento de perseguição política”. 

O senador apontou a importância da liberdade de expressão, “algo importantíssimo nesse momento da República”,  mostrando que a CPI está reproduzindo as arbitrariedades que ocorrem nos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes no STF. Eduardo Girão lamentou o vazamento de dados sigilosos, entregues à CPI, e criticou os vazamentos seletivos à velha imprensa. O senador disse: “vazamento de dados do Consórcio Nordeste, não teve”.

Girão observou: “O STF, que outras vezes se manifestou totalmente contra esse tipo de vazamento, agora fica calado. É algo que a gente não entende. Muito estranho. A CPI pode mudar. Depende, aqui, de nós. Depende da boa-vontade, das intenções, e deixar de ser um instrumento de perseguição política, pois é isso que está acontecendo. Renan Calheiros acerta em tirar o requerimento absurdo relacionado à Jovem Pan. A liberdade de expressão é algo importantíssimo. Fala-se tanto em atos antidemocráticos e, aqui, a gente faz a mesma coisa contra cidadãos”.

O senador parabenizou Renan Calheiros por retirar o requerimento de quebra de sigilo da Jovem Pan e alertou: “Pelo princípio da coerência, o requerimento relacionado ao Brasil Paralelo foi copiado e colado da Jovem Pan. Foi copiado. Eu peço que seja retirado. O Brasil paralelo é uma empresa que promove cursos, uma empresa conservadora”. Em seguida, o senador entrou em um bate-boca com Randolfe Rodrigues e Renan Calheiros, que difamaram a empresa Brasil Paralelo e se negaram a retirar o requerimento.

Girão, por seu turno, combateu: “Renan Calheiros, o senhor concorda com o vazamento de informações que está sendo feito por esta CPI?”. Posteriormente, Girão foi novamente interrompido por gritos de Randolfe Rodrigues. Ademais, o senador Eduardo Girão protestou diante da tentativa de convocação do General Braga Netto, ministro da Defesa do Governo Bolsonaro.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...