domingo, 8 de agosto de 2021

Senador Girão se pronuncia em frente ao TSE, faz duras críticas a Barroso e aponta manobra e ‘invasões’ de poderes


Em pronunciamento em frente ao TSE, o senador Eduardo Girão explicou que o tribunal tornou-se o centro de uma grande polêmica. Girão disse: “Vim aqui para o TSE. É o centro de uma grande polêmica em nosso país. No momento em que precisamos de diálogo, percebemos instituições entrando sobre as outras, invadindo competências, articulando politicamente. Isso não é saudável. A gente precisa respeitar as regras. O presidente do TSE [ministro Luís Roberto Barroso], que tem uma dotação orçamentária de quase R$2 bilhões, foi à Câmara se reunir com lideranças partidárias e conseguiu, de alguma forma, influenciar. As lideranças partidárias tiraram membros que eram favoráveis e trocaram por outros que não têm tanta firmeza nesse posicionamento. Uma manobra ocorreu. Uma interferência. Isso não é saudável. Há todo um establishment lutando contra o voto auditável”

O senador explicou que a proposta do voto auditável visa proporcionar lisura e transparência às eleições. Girão disse: “O voto auditável propicia, no mínimo, uma segurança, uma maior transparência nas apurações. São eleições, é o grande poder que o cidadão tem de transformação da sociedade, é o grande instrumento da democracia. O objetivo é de evolução, não de volta ao passado. É ‘fake news’ quem diz que é volta ao voto manual (...). Tivemos audiências públicas em que especialistas confirmaram que as urnas são suscetíveis de fraudes (...). Não é legal essa interferência de uma instituição sobre a outra. Há uma militância, um ativismo judicial acontecendo em outros temas, também”.

O senador também lamentou a condução da CPI da pandemia, também conhecida como “CPI do Circo”, “CPI da Cortina de Fumaça” e “Tribunal de Renan Calheiros”. Girão afirmou: “O que a gente viu aqui na CPI foi a continuidade de um show de arbitrariedades, de perseguição política. É isso que essa CPI se tornou: um instrumento de perseguição a quem pensa diferente. Isso não é bom para a democracia”.

Ademais, o senador Eduardo Girão assestou as retaliações da cúpula da CPI à servidora Mayra, bem como as violações de sigilos da imprensa independente: “Se fala tanto em atos antidemocráticos, mas esquecem que a própria CPI dá o péssimo exemplo e faz atos antidemocráticos como esses”. Outrossim, ele acrescentou: “A própria mídia nacional começou a descobrir o escândalo do Consórcio Nordeste, mas a CPI continua blindando”.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...