terça-feira, 26 de outubro de 2021

‘A CPI serviu mais como tribunal da vingança do que para mostrar um trabalho sério’, diz senador Marcos Rogério


O senador Marcos Rogério concedeu entrevista coletiva durante a sessão destinada à votação do relatório da CPI da pandemia, também conhecida como “CPI do Circo”, “CPI da Cortina de Fumaça” e “Tribunal de Renan Calheiros”. O senador apontou:  “O relatório é o maior ‘fake news’. Acusa sem provas e ancora suas acusações em narrativas, servindo ao jogo pré-eleitoral. Não buscou fatos, evidências. Escolheu adversários políticos e os atacou impiedosamente”

O senador enfatizou a perseguição aberta ao presidente Jair Bolsonaro e a seus aliados. Ele disse: “Há uma sanha vingativa do G7 contra o presidente Jair Bolsonaro. A CPI presta um desserviço ao Brasil quando apresenta, no relatório, uma farsa que vai servir ao jogo político, ao jogo eleitoral, mas não a uma investigação séria. Qualquer jurista comprometido com a verdade não tem como levar a sério o relatório apresentado por Renan Calheiros. O relatório representa um grande ‘fake news’ processual”.

O senador também enfatizou os excessos e abusos cometidos contra os depoentes na CPI. Marcos Rogério disse: “Essa CPI se revelou um palco de tort*, de abuso de autoridade. Bandidos foram tratados como pessoas do bem. Pessoas decentes, honestas e trabalhadoras foram tratadas como bandidas. Fizeram de Luciano Hang, um gerador de empregos, um espetáculo circense. O brasileiro sério não consegue entender isso. É uma lógica invertida, perversa, que ofende a inteligência das pessoas. Não investigou o Consórcio do Nordeste: que pacto é este? Pacto com o crime? Pacto com os criminosos? Diante de evidências de conluio, organização criminosa, fraude, pacto pela propinagem. E a CPI disse ‘não’ à investigação”.

O senador Marcos Rogério acrescentou: “Eu chego muito triste ao final da CPI, pelo que vi aqui. Colegas se atacando, ofendendo os outros, como se fossem adversários. Tudo isso para mascarar uma investigação que não estava acontecendo. Atacavam para esconder o que de fato estava acontecendo. Governador do Rio de Janeiro, cassado por roubalheira, aqui foi tratado como herói nacional. A CPI serviu mais como tribunal da vingança do que para mostrar um trabalho sério. É um final trágico e lamentável para uma CPI que deveria servir ao Brasil”.

A Constituição Brasileira, em seu primeiro artigo, afirma que os fundamentos da República são: a soberania, a cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa, e o pluralismo político. No entanto, para um grupo de pessoas, no qual o empresário Luciano Hang foi incluído, esses fundamentos parecem ser relativizados. 

O empresário foi investigado em um dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal, tendo tido seus sigilos quebrados e até mesmo sofrido busca e apreensão, com base unicamente em uma reportagem que jamais apresentou qualquer comprovação de suas alegações. O empresário processou a repórter e o jornal, e, quando o caso foi analisado por um juiz de direito, reconheceu-se que a reportagem não atendeu ao menor dever de cuidado em averiguar os fatos. 

A Folha Política também foi alvo de inquéritos do ministro Alexandre de Moraes, sofreu busca e apreensão de todos os seus equipamentos, e teve seus sigilos quebrados. Assim como no caso de Hang, os inquéritos se baseiam em “relatórios” e “reportagens” que são tomados como verdadeiros, embora produzidos pela concorrência e sem qualquer compromisso com fatos. 

Com base no mesmo tipo de informação produzida por fontes suspeitas, recentemente o corregedor do TSE, Luís Felipe Salomão, mandou confiscar toda a renda da empresa, com o apoio e elogios do ministro do STF Luís Roberto Barroso, presidente do TSE. 

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a empresa a sobreviver, doe qualquer quantia através do Pix, utilizando o código que está visível na tela ou o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Com sua ajuda, a Folha Política poderá continuar trazendo informação que o cartel midiático não quer que você veja. 


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...