segunda-feira, 25 de outubro de 2021

Bolsonaro alerta sobre influência de outros países e possibilidade de ‘caos’ no Brasil: ‘A quem interessa isso?’


Em entrevista a uma rádio do Mato Grosso do Sul, transmitida por suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro fez um alerta sobre a influência de outros países em questões nacionais relacionadas ao agronegócio e à propriedade de terras. Bolsonaro disse: “o Brasil deve vender para o mundo todo, mas não deve permitir que ninguém compre o Brasil. Tem um projeto aprovado no Senado, que está na Câmara. Estamos fazendo o possível para que ele não seja votado na Câmara, porque aí corre o risco de ser aprovado”.

O presidente afirmou que, caso o projeto seja aprovado, ele vetará, mas alertou: “a palavra final, quem dá é o Congresso. Se o Congresso derrubar o veto, cada município poderá vender 25% das suas terras para outros países. Eu não quero citar nenhum país aqui. Mas eu acho que tem uma  pulga atrás da sua orelha neste momento. Então, nós não podemos permitir venderem o Brasil”. 

Bolsonaro explicou que, se um país estrangeiro puder ter fazendas grandes, ele poderá impor sua própria dinâmica, e disse: “Com toda a certeza, rapidamente, este outro, ou outros países, agindo dessa maneira, vão quebrar nossa agricultura, e nós serviremos como uma grande fazenda para o mundo. Essa é uma preocupação que pouca gente se apercebeu dela ainda”.

O presidente apontou outro problema, o julgamento, pelo Supremo Tribunal Federal, do marco temporal para demarcação de terras indígenas. Bolsonaro disse: “se perdermos isso que está no Supremo Tribunal Federal, poderemos ter mais uma área equivalente à região Sudeste, como reserva indígena. Nós dobraríamos, no Brasil, a quantidade de reservas indígenas. E, pela disposição geográfica dessas reservas, anularia mais da metade das áreas produtivas no Brasil. Seria o caos! A quem interessa isso? O caos acontecendo em um país rico como o Brasil, como aconteceu com um país rico como a Venezuela, você sabe que outros países vão para cima. Não quero falar que países são esses. Cada pessoa tem que ter a consciência e entender o que eu estou falando”. 

O presidente disse que poderia usar “mentiras suaves”, mas prefere falar a verdade. Bolsonaro disse: “muito mais fácil partir para a mentira suave. O difícil é você falar o que nós temos que fazer para mudar a vida dessas pessoas. O que muda a vida das pessoas é o conhecimento, e é o conhecimento da realidade que acontece aqui no Brasil”. Bolsonaro apontou para a necessidade do País agregar mais valor aos seus produtos. 

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e pessoas que apenas têm um discurso diferente do imposto pelo cartel midiático vêm sendo perseguidos, seja pela CPI, seja pelo Judiciário. Além dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, agora também o corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, criou seu próprio inquérito administrativo, o qual ordenou o confisco da renda de sites e canais conservadores, como Bárbara, do canal Te Atualizei, e a Folha Política. Toda a receita gerada pelo nosso jornal desde 1º de julho está bloqueada por ordem do TSE, com aplauso do ministro Luís Roberto Barroso, que também é ministro do STF.

Sem a possibilidade de receber a renda de seu trabalho, o jornal corre o risco de fechar. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar, use o QR Code que está visível na tela para doar qualquer quantia, ou use o código ajude@folhapolitica.org. Caso prefira transferência ou depósito, a conta da empresa Raposo Fernandes está disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo. 

Há quase 10 anos, a Folha Política faz a cobertura da política brasileira, mostrando atos, pronunciamentos e eventos dos três poderes, quebrando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...