quinta-feira, 11 de novembro de 2021

Bolsonaro comemora delação premiada contra o Consórcio Nordeste e alfineta Moro: ‘Não aprendeu nada’


Ao sair do palácio do Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro conversou com cidadãos que o aguardavam nos jardins, quando falou sobre a proposta de delação premiada que foi feita à CPI da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, que investiga, entre outras coisas, o Consórcio Nordeste, que pagou quase 50 milhões por respiradores que nunca foram entregues. 

Bolsonaro disse: “A imprensa não divulga certas notícias. A CPI lá do Rio Grande do Norte conseguiu uma delação premiada do dono da empresa que recebeu, mas não vendeu os respiradores. Vai complicar para o pessoal do Consórcio Nordeste. A CPI daqui teve trabalho para esconder isso que eles estão indo atrás, do pessoal que desviou recursos”.

O presidente explicou a gravidade da situação, dizendo: “Imagine, você vai com um parente, um amigo para o hospital, para fazer um tratamento, por exemplo, de diálise, e a máquina não está lá. A pessoa vai morrer, não vai? E quem foi ao hospital e não teve respirador, porque o pessoal do Consórcio Nordeste desviou dinheiro via Carlos Gabas? É a mesma coisa”. Bolsonaro acrescentou: “Não acharam uma linha de corrupção, no relatório da CPI, a meu respeito. Não tem. E, se aparecer, a gente vai atrás. Ajuda a desvendar, a mostrar possíveis responsáveis”.

O presidente ironizou o evento de filiação do ex-ministro Sérgio Moro. Bolsonaro disse: “gostaram do discurso do cara ontem? O cara leu… Eu assisti porque foi meu ministro, né? Não aprendeu nada. Um ano e quatro meses lá, não sabe o que é ser presidente. Nem ser ministro”.

O presidente falou sobre os índices de desemprego e lembrou o evento de ontem, que celebrou a desburocratização e simplificação de normas trabalhistas. Bolsonaro disse: “Nosso trabalho é não atrapalhar. Eu não crio empregos. Ontem disseram que o governo criou milhões de empregos. Não foi o governo. O governo não atrapalhou. Deu meios para criar. Quem cria é a iniciativa privada”. O presidente prosseguiu: “Ontem foi um evento bacana, né? O Onyx desregulamentou muita coisa. Mais de 1000 decretos que foram revogados, portarias. Ajuda o pessoal a abrir uma empresa, empreender. Não é fácil ser patrão no Brasil. É o que eu falo do salário, é muito para quem paga e pouco para quem recebe. O Estado - em todos os níveis, federal, estadual, municipal - é muito voraz. Nunca vi uma reforma tributária ir para a frente. Ali dentro [da Câmara], cada um defende um pedaço”. O presidente disse que defende uma reforma tributária sem aumento de impostos. 

Bolsonaro lamentou que seja apontado como culpado por todos os problemas. Ele disse: “as consequências do ‘fique em casa’ - estão vendo aí? Já sabem quem é o culpado?

Quase todos os governadores fecharam tudo. Alguns falam que eu estou brigando com governadores. Estou falando a verdade”. Ele também falou sobre o agronegócio, dizendo: “estamos buscando solução para a questão do fertilizante. Já sabe quem é o culpado, né?”. 

O presidente lembrou que há uma crise econômica, com inflação de alimentos, em todo o mundo, e que o Brasil, comparativamente, está se saindo muito bem. Bolsonaro apontou os problemas da metodologia utilizada para medir o desemprego, mostrando que pessoas que antes já não tinham emprego formal eram consideradas empregadas, e agora passaram a engordar os números de desempregados. Ele lamentou: “não acusam aquele governador que fechou tudo, e fechou tudo sem dizer como aquelas pessoas iam sobreviver”. 

Bolsonaro rebateu as críticas da oposição, lembrando que votaram contra a PEC dos precatórios, que vai viabilizar o Auxílio Brasil. O presidente explicou que os precatórios que estão em discussão se originaram de uma dívida do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Bolsonaro disse: “Lula não pagou, Dilma não pagou, aí o Supremo decidiu que eu tenho que pagar de uma vez só”. O presidente ironizou: “se está há 20 anos sem receber, é porque o Lula tinha que ter pago lá atrás”. E lembrou: “o cara que comprou o precatório de 10 milhões por um milhão é que faz o lobby pra gente pagar de uma vez só. Agora, é fácil ganhar da União, né?”.

A Folha Política mostra, há quase 10 anos, fatos da política brasileira, que incluem atos, pronunciamentos, eventos e declarações de membros dos três poderes, inclusive do atual presidente da República eleito democraticamente pela maioria da população. Antes de sua eleição, a Folha Política mostrou atos dos presidentes anteriores, e, da mesma forma, pretende continuar mostrando os atos dos próximos presidentes, assim como a cobertura completa de fatos de relevância nacional no âmbito da Câmara dos Deputados, do Senado Federal, das Assembleias Legislativas estaduais, das câmaras municipais, do STF e de outros tribunais. Contudo, atualmente, a renda do jornal está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, que decidiu inviabilizar o funcionamento de sites e canais conservadores, privando-os dos meios de sobrevivência. 

O confisco de renda atinge todos os vídeos produzidos pelo canal, independente do conteúdo. Essa decisão recebeu o apoio e aplauso do ministro Luís Roberto Barroso, do STF, presidente do TSE, e se soma a outras medidas já tomadas contra o canal, como a apreensão de todos os equipamentos promovida pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, em inquérito que foi arquivado por falta de indícios de crime. 

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado, doe qualquer valor pelo Pix, utilizando o QR Code que está visível na tela ou o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há quase 10 anos, a Folha Política vem mostrando os fatos da política brasileira, fazendo a cobertura dos três poderes, e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer calar. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...