domingo, 14 de novembro de 2021

Bolsonaro retruca Alckmin, expõe conluio de PT e PSDB, alerta para ‘desastre’ na Venezuela e explica polêmica sobre partidos


Durante sua visita à Dubai AirShow, a maior feira de aviação do mundo, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, o presidente Jair Bolsonaro concedeu uma entrevista à velha imprensa, que o questionou sobre sua situação partidária. Bolsonaro falou sobre as recentes declarações de Geraldo Alckmin e apontou: “PT e PSDB nunca foram tão iguais. Alckmin dizendo que Lula respeita a democracia, é sinal de que o Alckmin não conhece nada fora do Brasil”. O presidente mencionou a situação da Venezuela e disse: “convidaria, respeitosamente, o sr. Alckmin para conhecer o projeto Acolhida. Há vários anos, os venezuelanos fogem de lá, fogem da ditadura e da miséria”. Bolsonaro lembrou que o PT sempre apoiou o ditador Nicolás Maduro. 

Questionado sobre a escolha de partido, Bolsonaro disse: “só vale depois que eu assinar embaixo. Tem muita coisa a conversar com o Valdemar Costa Neto ainda”. O presidente explicou que candidato e partido precisam estar alinhados, e para tanto ele precisa discutir longamente com o presidente do partido as posições a serem assumidas em relação a pautas importantes. Bolsonaro disse ainda: “a gente não vai aceitar, por exemplo, em São Paulo, apoiar alguém do PSDB”. 

O presidente enfatizou que o partido tem que estar comprometido com a continuidade da mudança que vem sendo promovida por seu governo, inclusive mantendo o nível dos ministros. Questionado se a data do dia 22 ainda seria possível, Bolsonaro disse: “se até lá nos afinarmos, pode ser. Mas acho difícil essa data 22”. O presidente lembrou que é importante ter uma boa bancada na Câmara e no Senado, mas “também fechar com governadores que possam ser diferentes de muitos que estão aí”.

Muitos brasileiros estão vivendo sob o jugo de uma ditadura, em que seus direitos e garantias fundamentais estão sendo desrespeitados. O país tem presos políticos e pessoas, jornais e sites censurados. A totalidade da renda da Folha Política, e também de outros canais e sites conservadores, está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, em uma decisão que recebeu o respaldo do presidente da corte, Luís Roberto Barroso, que é também ministro do STF.

Se você apoia o trabalho da Folha Política, que há quase 10 anos mostra os fatos da política brasileira, e pode ajudar o jornal a permanecer em funcionamento, doe qualquer valor através do Pix, usando o QR Code que aparece na tela ou o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há quase 10 anos, a Folha Política vem mostrando os fatos da política brasileira e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer calar. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...