sábado, 20 de novembro de 2021

Deputada Bia Kicis retruca ataque de esquerdista e refuta ‘manobra’ sobre PEC e STF


Em pronunciamento na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, a deputada federal Bia Kicis, aliada do presidente Jair Bolsonaro, retrucou alegações de que estaria participando de “manobras” com vistas a beneficiar o presidente. A parlamentar queixou-se das narrativas da oposição e ressaltou que a indicação de mais ministros para o Supremo Tribunal Federal só ocorrerá após a eleição. Ela disse: “Quero dizer o seguinte: para que o Presidente coloque mais dois Ministros, ou seja lá quantos forem, ele o fará depois de reeleito. É assim que ele vai colocar mais Ministros no Supremo: depois da sua reeleição, em 2022. Aqui não tem manobra, eu repudio isso. Reafirmo que repudio. Tenho agido de forma muito correta; por isso, não aceito ataques”.

A deputada lembrou que a proposta fez parte de sua campanha e refutou alegações de que haveria resistência por parte do Judiciário. Bia Kicis apontou: “Alguém aqui falou: "Ah, como é que vocês vão aguentar os desembargadores vindo para cima?" Eu vou dizer aos senhores: os desembargadores têm me procurado, sim, pedindo para aprovar essa PEC. Esse aumento para 75 anos causou uma falta de oxigenação nas carreiras jurídicas, nas carreiras do Ministério Público”.

A deputada explicou: “Então, as carreiras precisam de oxigenação. Aqui não estamos mirando no Supremo Tribunal Federal. Estamos mirando, sim, nas carreiras em geral, nas carreiras de Estado, para que possa haver uma maior oxigenação”. Bia Kicis acrescentou: “Aqui, ninguém está mirando em ninguém. Nós estamos tentando ouvir a sociedade”. 

Muitos brasileiros estão vivendo sob o jugo de uma ditadura, em que seus direitos e garantias fundamentais estão sendo desrespeitados. O país tem presos políticos e pessoas, jornais e sites censurados. A totalidade da renda da Folha Política, e também de outros canais e sites conservadores, está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, em uma decisão que recebeu o respaldo do presidente da corte, Luís Roberto Barroso, que é também ministro do STF.

Se você apoia o trabalho da Folha Política, que há quase 10 anos mostra os fatos da política brasileira, e pode ajudar o jornal a permanecer em funcionamento, doe qualquer valor através do Pix, usando o QR Code que aparece na tela ou o código ajude@folhapolitica.org.  Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há quase 10 anos, a Folha Política vem mostrando para você os fatos da política brasileira, fazendo a cobertura dos três poderes, e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer calar. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...