quarta-feira, 3 de novembro de 2021

Deputada Caroline de Toni reage a mentiras contra Bolsonaro e desmoraliza Lula


Em pronunciamento na CCJC, Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados, a deputada federal Caroline de Toni rebateu narrativas apresentadas por deputados petistas e confrontou-os com a realidade dos governos petistas. 

Caroline de Toni apontou: “A primeira questão que a gente tem que desmentir aqui é a falácia de que o Lula tirou brasileiros da fome. Os que as deputadas do PT solenemente não revelam, e são falácias que vamos destruir aqui (...). O que eles fizeram para reduzir as estatísticas de brasileiros que passavam fome? Como em tudo, em vez de mudarem a realidade, mudaram a metodologia. Um dos critérios da mudança de estatística: quem recebesse a merenda escolar ou uma refeição por dia em restaurante popular deixava de entrar na estatística. O programa de Lula foi falido nos 10 primeiros meses de consecução”

A deputada lembrou como foi a criação do Bolsa Família, e rebateu ainda as narrativas da velha imprensa sobre a viagem do presidente Jair Bolsonaro à Itália: “Eles só pegaram os programas atingidos pelo governo anterior, FHC, e botaram um novo título. Não fizeram nada com relação à fome. A deputada do PT falou da ida do presidente Jair Bolsonaro à Itália e que ele passou vergonha no G20. Recebi vídeos em primeira mão, não dessa imprensa marrom. Ele foi ovacionado na Itália. Para onde ele ia, iam centenas de pessoas. Ele recebeu o título de cidadão honorário, encontrou-se com o diretor-geral da OMS e foi elogiado pela política de vacinação”. Caroline de Toni comparou: “Nosso amigo trouxe um áudio do Lula, ele ia a conferências internacionais e mentia. Ele mesmo dava risada porque inventava estatísticas. PT e mentira tem tudo a ver”.

As narrativas da extrema esquerda, mesmo quando não têm qualquer base em fatos, costumam ser aceitas com facilidade pela velha imprensa e por setores do Judiciário. A cada derrota no Legislativo, ou a cada contrariedade com decisões do Executivo, os partidos de esquerda ajuízam demandas junto aos tribunais superiores, onde costumam ser atendidos com presteza, em contraste com as demandas propostas por parlamentares de direita. 

Atendendo aos pedidos dos partidos de esquerda, alguns setores do Judiciário interferem nas decisões do Executivo, no que é conhecido como ativismo judicial. Ultimamente, o ativismo judicial vem ganhando contornos de tirania, incluindo perseguição aberta a conservadores e a apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. 

No Supremo Tribunal Federal, o ministro Alexandre de Moraes conduz inquéritos sigilosos contra apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. Em um desses inquéritos, a sede da Folha Política foi invadida e todos os equipamentos do jornal foram apreendidos. Após a Polícia Federal atestar que não havia motivos para qualquer indiciamento, o inquérito foi arquivado a pedido do Ministério Público, mas o ministro abriu outro inquérito de ofício e compartilhou os dados do inquérito arquivado. Atualmente, a renda do jornal está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, em atitude que foi elogiada pelo ministro Luís Roberto Barroso, do STF, presidente do TSE. 

Se você apoia o nosso trabalho e pode ajudar a Folha Política a continuar funcionando, doe qualquer valor através do QR Code que está visível na tela, ou através do código pix ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há quase 10 anos, a Folha Política vem mostrando os fatos da política brasileira, enfrentando a espiral do silêncio imposta pelo cartel midiático que pretende controlar o fluxo de informações no Brasil. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...