quarta-feira, 3 de novembro de 2021

Presidente da Câmara, Lira repudia 'omissão' do Senado e concede coletiva sobre PEC


O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, concedeu uma entrevista coletiva pouco antes de iniciar a votação da PEC dos Precatórios. Lira explicou que parte da demora para iniciar a votação é resultado da recente volta aos trabalhos presenciais, mas que criou mecanismos para que todos possam participar. 

Lira anunciou que o relator vai apresentar uma emenda aglutinativa global, envolvendo todos os acordos que foram feitos esses dias, após conversas com todos os setores. O presidente da Câmara apontou: “Não tenho compromisso com os resultados, mas tenho compromisso em defender uma pauta que não causa mal a ninguém; ao contrário, só traz benefícios”.

O presidente da Câmara lembrou ainda que a situação se tornou tão urgente devido à inação do Senado Federal. Ele disse: “tivemos problemas ao longo desse período, como, por exemplo, a não apreciação pelo Senado Federal do projeto do Imposto de Renda para criar um novo programa permanente dentro do teto, de 300 reais. Não houve até hoje essa votação, nem saiu da comissão”. Lira apontou que, com a omissão do Senado e sem alguma adaptação, 20 milhões de famílias passariam fome e não teriam nenhuma perspectiva. 

Há quase 10 anos, a Folha Política atua noticiando fatos, discursos, argumentos e denúncias que são obliteradas pela velha imprensa. Nosso veículo de imprensa dá voz às vozes conservadoras, ao anticomunismo, à defesa dos direitos fundamentais e da liberdade de expressão e de imprensa, além de trazer ao público os vídeos dos pronunciamentos de autoridades para que o público possa formar sua própria opinião sobre o que foi dito e não precise depender de relatos de terceiros. 

Quem controla a informação controla, em última instância, a realidade. Grupos monopolísticos e cartéis que se associam com o intuito de barrar informações contrárias ou inconvenientes atuam em conluio com a finalidade de aniquilar qualquer mídia independente, eliminando o contraditório e a possibilidade de um debate público amplo, honesto, abrangendo todos os feixes e singularidades dos mais diversos espectros políticos. Controlando as informações, o cartel midiático brasileiro tenta excluir do debate e, em última instância, da vida pública, os conservadores e os veículos que dão voz a essas pessoas. 

A renda da Folha Política está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, do TSE, com respaldo e apoio de Luís Roberto Barroso, ministro do STF e presidente do TSE. A decisão confisca, de forma indiscriminada, todas as receitas advindas do Youtube, indicando claramente que a intenção não é a de excluir conteúdos específicos, mas sim de calar o canal e eliminar a empresa. 

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...