quarta-feira, 15 de dezembro de 2021

Bolsonaro rebate acusações da rede Globo sobre segurança e repórter: ‘Só cascata’


O presidente Jair Bolsonaro falou a cidadãos, no jardim do palácio da Alvorada, quando rebateu as acusações da rede Globo de que seu segurança teria agredido uma jornalista. Bolsonaro conversava sobre a Venezuela e disse: “um país que tem a maior reserva de petróleo do mundo, rico em ouro, caiu na mão da esquerda, apoiado pelo Lula”. 

O presidente prosseguiu: “pessoas que têm uma certa cultura e uma certa idade ainda tá em paixão com a esquerda. Olha a Venezuela, aqui. O país mais rico do mundo. Deixou entrar a política da esquerda lá. Se bem que o Chávez, em 99, estava bem. Fez um discurso anti-Cuba, pró-EUA, liberdade econômica, etc. De repente, mudou de lado”. 

Bolsonaro lembrou: “a direita boicotou e não foi às urnas. Aí o Chavez fez mais de 90% do parlamento. Riu de orelha a orelha. Aí, já era. Aqui o pessoal fala: não vou votar em ninguém. O cara que mais erra é o que não vota em ninguém. Porque esse pessoal da esquerda, todos vão votar. O lado de cá, ele vê uma acusação, um defeito, né? “Ele é sem-educação”. De vez em quando eu sou, mesmo. Mas não sou com o povo”.  

O presidente explicou: “A imprensa tá acusando que o meu pessoal ofendeu jornalista lá na Bahia. Quem ofendeu? Mostra as imagens. Uma mulher da Globo deu uma pancada num colega meu da segurança. Agora, cadê? Fez corpo de delito? Não fez nada. Só cascata”. 

A censura que vem se intensificando no Brasil atinge unicamente conservadores e já causou o fechamento de alguns veículos de imprensa. Mas a perseguição não se limita à censura e inclui muitas outras medidas, inclusive prisões políticas, devassas, buscas e apreensões, ass*** de reputações, entre outras. 

Grupos monopolísticos e cartéis que se associam com o intuito de barrar informações contrárias ou inconvenientes atuam em conluio com a finalidade de aniquilar qualquer mídia independente, eliminando o contraditório e a possibilidade de um debate público amplo, honesto, abrangendo todos os feixes e singularidades dos mais diversos espectros políticos. Controlando as informações, o cartel midiático brasileiro tenta excluir do debate e, em última instância, da vida pública, os conservadores e os veículos que dão voz a essas pessoas. 

A Folha Política teve toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, do TSE, com o aplauso e o respaldo do ministro Luís Roberto Barroso. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas.

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, inclusive celulares e tablets dos sócios e de seus filhos. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há quase 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...