sábado, 4 de dezembro de 2021

CPI do RN descobre e aponta ‘falcatruas’ milionárias e superfaturamento no Consórcio Nordeste


O presidente da CPI da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, deputado Kelps Lima, relatou, em vídeos divulgados pelas redes sociais, algumas das descobertas feitas pela CPI sobre a forma de atuação do Consórcio Nordeste. 

No último dia de depoimentos, o deputado relatou: 

“1 - Na sessão de hoje na CPI do RN ficou comprovado que os Governadores do Nordeste pagaram quase 50 milhões para compra de respiradores para uma empresa, H****care, que NUNCA fabricou respiradores, NUNCA vendeu respiradores e nem tinha NENHUM em estoque;

2 - Após isso a H***care pagou adiantado outros 24 milhões de reais do povo do Nordeste a outra empresa que NUNCA fabricou respiradores, NUNCA vendeu respiradores e nem tinha NENHUM em estoque, a BioGeoEnergy;

3 - Os Governadores não tiveram o mínimo cuidado com o dinheiro dos seus Estados e confiaram cegamente em Carlos Gabas e Rui Costa e hoje ainda aceitam o primeiro no comando do Consórcio. Preferem proteger um aliado político que o povo dos seus Estados”.

Na véspera, o deputado já havia relatado fatos assustadores sobre a conduta do Consórcio. Kelps Lima disse: 

“1 - O Secretário de Saúde do Estado confirmou, na sessão da CPI da COVID/RN, que o pagamento dos 5 milhões ao Consórcio Nordeste, de forma antecipada, foi feito sem leitura ou assinatura do contrato, sem consulta para dotação orçamentária prévia ou parecer jurídico;

2 - Não foi conferida qual a empresa que iria fornecer os produtos, se havia cláusula de seguro, se sequer ela produzia respiradores!! Quase um PIX feito pelo Secretário de Saúde para a gestão de Ruy Costa e Carlos Gabbas;

3 - O resultado desta operação desastrada, feita pelos Governadores do Nordeste, foi a perda de quase 50 milhões e no desvio do dinheiro do povo nordestino no escândalo dos respiradores no Consórcio Nordeste”

O presidente da CPI da ALRN relatou ainda que houve superfaturamento na compra dos respiradores que não foram entregues. Kelps Lima disse: 

1 - Uma testemunha detalhou hoje na CPI da COVID/RN o SUPERFATURAMENTO na compra dos respiradores feita pelo Consórcio Nordeste. O custo seria de 15 mil e a venda final 152.000 reais  por respirador

2 - O Consórcio Nordeste arrecadou quase 50 milhões dos Estados, e pagou tudo antecipado a H**pcare, que compraria os respiradores apenas por 24 milhões a BioGeoEnergy, pago também antecipadamente, que por sua vez gastaria somente 5 milhões para produzir.

3 - Produto final desta operação: ZERO respirador entregues e 48 milhões desviados. Com a palavra os Governadores Nordestinos que defendem a permanência de Carlos Gabbas no cargo de Diretor Geral do Consórcio Nordeste

O deputado mostrou um vídeo do depoimento da testemunha, relatando o superfaturamento, e questionou a governadora do estado: “Momento em que a testemunha revela o SUPERFATURAMENTO na compra de Respiradores pelo Consórcio Nordeste. Custo de 15 mil, preço final, 10x maior para o povo Nordestino. E agora Governadora Fátima? Vai continuar protegendo seus aliados partidários? Gabbas e Ruy Costa agradecem…”

A questão dos indícios de corrupção nos contratos do Consórcio Nordeste foi solenemente ignorada na CPI realizada no Senado Federal. Enquanto se recusou a investigar indícios de corrupção com os recursos enviados pelo governo federal para os estados e municípios, a CPI do Senado não poupou esforços em humilhar pessoas e empresas que manifestaram apoio ao presidente Jair Bolsonaro, além de quebrar sigilos sem qualquer fundamentação, vazar dados sigilosos para a imprensa e ameaçar pessoas de prisão. 

O procedimento é o mesmo observado em inquéritos conduzidos em cortes superiores: matérias da velha imprensa atribuem um “rótulo” ou “marca” a um grupo de pessoas, e isso é tido como suficiente para quebras de sigilos, interrogatórios, buscas e apreensões, prisões e confiscos. Após promover uma devassa nas pessoas e empresas, no que é conhecido como “fishing expedition”, os dados são vazados para a velha imprensa, que então promove um assassi* de reputações que dá causa a novas medidas abusivas. Conforme vários senadores já notaram, os procedimentos são, comumente, dirigidos aos veículos de imprensa independentes, em evidente tentativa de eliminar a concorrência, controlar a informação e manipular a população brasileira. 

Em um inquérito administrativo no Tribunal Superior Eleitoral, seguindo esse tipo de procedimento, o ministro Luís Felipe Salomão ordenou o confisco da renda de diversas pessoas, sites e canais conservadores, inclusive a Folha Política. A decisão recebeu elogios do ministro Luís Roberto Barroso, do STF, presidente do TSE. 

A decisão não discrimina os conteúdos e atinge a totalidade da renda dos sites, com o objetivo de levar ao fechamento das empresas por impossibilidade de gerar renda. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a impedir o fechamento do jornal, doe qualquer valor através do Pix, utilizando o QR Code que está visível na tela ou o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há quase 10 anos, a Folha Política vem mostrando os fatos da política brasileira e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer calar. Pix: ajude@folhapolitica.org

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...