quarta-feira, 15 de dezembro de 2021

General é intensamente aplaudido em pronunciamento sobre Bolsonaro, Tarcísio, Guedes e o futuro do Brasil


Durante o Evento Moderniza Brasil - Ambiente de Negócios, na Fiesp, em São Paulo, o ministro Luiz Ramos enfatizou o trabalho do governo federal para tornar o Brasil um país mais competitivo. Ramos lembrou que, em Davos, em 2019, o presidente Jair Bolsonaro  assumiu o compromisso de colocar o Brasil entre os 50 melhores países para fazer negócios no mundo. O general disse que “a meta é ousada” e apontou que, “com o apoio do parlamento e do setor produtivo, nossa luta ganhou corpo”.

O ministro listou as reformas que já foram empreendidas e as que estão em curso, apontando que o governo federal passou a focar naqueles que querem investir no Brasil. Ele mencionou o programa Brasil Mais, que já gerou aumento de 30 a 50% de produtividade, e acrescentou: “em paralelo, trabalhamos forte em busca de melhorar a nossa infraestrutura”. Ao mencionar a construção e melhoria de rodovias, portos, aeroportos e ferrovias, o ministro agradeceu ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, que foi intensamente aplaudido. 

O ministro lembrou ainda que a avaliação do Brasil é feita a partir da percepção dos próprios empresários e que o resultado é o que forma a imagem do país no exterior. Luiz Ramos reafirmou “o compromisso do governo com um país cada vez mais produtivo” e disse aos empresários: “contem conosco, e tenham certeza de que nós contamos e acreditamos nos senhores”.

No contexto atual do Brasil, muitas pessoas estão sendo tratadas como sub-cidadãos, pelo simples motivo de terem manifestado apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Por expressarem suas opiniões, são alvo de CPIs, de inquéritos secretos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal, ou são vítimas de medidas arbitrárias como prisões políticas, apreensão de bens, e exposição indevida de dados, entre outras. 

A totalidade da renda da Folha Política,assim como de outros canais e sites conservadores, está sendo confiscada a mando do ex-corregedor do TSE, Luís Felipe Salomão, com o apoio e aplauso do presidente do tribunal, Luís Roberto Barroso, que é também ministro do STF. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode nos ajudar a continuar nosso trabalho, doe qualquer valor através do Pix, usando o QR Code que está visível na tela, ou com o código ajude@folhapolitica.org

Há quase 10 anos, a Folha Política vem mostrando os eventos da política brasileira e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer manter invisíveis. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...