domingo, 9 de janeiro de 2022

Bolsonaro critica Doria, expõe desastre de Lula e do PT na Petrobras e alfineta governadores


Durante uma entrevista concedida por videoconferência e transmitida por suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro relatou como o preço dos combustíveis ainda é impactado pelos desastres das gestões petistas. O presidente explicou que, no último ano, a Petrobras conseguiu diminuir uma dívida em cerca de 100 bilhões. Bolsonaro disse: “Cem bilhões foram pagos no ano passado. De onde veio essa dívida? A Petrobras foi completamente aparelhada. Os governos do PT entregaram a Petrobras para partidos políticos. Entraram lá para fazer caixa, não somente eleitoral, mas dinheiro para si. Com esses desmandos, muita coisa deixou de ser feita na Petrobras, como os investimentos. Isso se reflete na ponta da linha, no preço do combustível”.

O presidente ironizou as declarações de que o ex-presidente Lula seria inocente. Bolsonaro disse: “Só no ano passado, foram R$6 bilhões recuperados em cima de acordos de leniência, acordos com a Justiça, e dinheiro devolvido por meio de delação premiada. Um diretor da Petrobras devolveu 100 milhões de dólares. Ele não inventou isso. Ele tinha roubado muito mais do que isso para alguém, para quem o colocou lá. O governo do PT anunciou a feitura de 3 refinarias e não foram para a frente. A dívida para isso tudo está na casa dos 90 bilhões de reais”

Bolsonaro comparou a forma de agir do governo federal com a dos governadores, apontando que alguns trabalham para o povo, mas outros só se preocupam em aumentar a arrecadação. O presidente disse: “O governador de São Paulo, agora: teve um aumento médio do IPVA do carro de 22%. O que o governador Zema, de Minas, fez? Conseguiu congelar o valor do IPVA de 2021 para 2022. Muita gente, quando chega ao governo, se acomoda. Fica apenas de olho no que pode arrecadar. Muitos aumentaram o ICMS para os combustíveis”.

O avanço constante e crescente de medidas restritivas arbitrárias impostas por governadores e prefeitos a pretexto de combater a pandemia é um dos sinais de que, no Brasil, os cidadãos não vivem em uma democracia. 

Para um grupo de pessoas e empresas, a tirania ganha contornos de implacável perseguição política e ideológica, e esse grupo “marcado” vem sendo perseguido com medidas arbitrárias, como prisões políticas, buscas e apreensões, censura, bloqueio de redes sociais e confiscos. 

A Folha Política, que já teve todos os seus equipamentos apreendidos a mando de Alexandre de Moraes, atualmente tem toda a sua renda confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, em decisão aplaudida pelo ministro Luís Roberto Barroso, do STF e do TSE. Segundo a velha imprensa, que participa ativamente dos inquéritos, a intenção é impedir o funcionamento da empresa, privando-a de sua fonte de renda. 

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a impedir o fechamento do jornal, doe qualquer valor pelo Pix, usando o QR Code que está visível na tela, ou o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há quase 10 anos, a Folha Política vem enfrentando a espiral do silêncio imposta pelo cartel midiático e trazendo os fatos da política brasileira. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...