quarta-feira, 12 de janeiro de 2022

Bolsonaro rebate Barroso, do STF: 'ninguém pode ter esse poder que ele acha que tem'


Durante entrevista por videoconferência, transmitida por suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro rebateu declarações do ministro Luís Roberto Barroso, do STF e do TSE. O presidente lembrou que foi o ministro Barroso quem mandou instaurar a CPI do Senado, também conhecida como “CPI do Circo”, “CPI da Cortina de Fumaça” e “Tribunal de Renan Calheiros”, e questionou quais seriam os fatos determinados a serem investigados por uma nova CPI. 

Questionado sobre o artigo publicado pelo ministro, que criou figuras como “terr*** verbais”, Bolsonaro lembrou que o ministro, quando advogado, defendeu um terr**** real. O presidente perguntou ao ministro quais seriam os crimes que ele poderia ter cometido, pedindo-lhe que aponte onde estão publicadas as supostas “fake news” de que o acusam. 

O presidente lembrou que sua chapa foi julgada no Tribunal Superior Eleitoral, e, naquela ocasião, o ministro Alexandre de Moraes declarou, sem provas, que houve crimes e que há a intenção de cassar o registro e prender o candidato que cometer as condutas que ele declarou terem existido. Bolsonaro disse: “isso é jogar fora das quatro linhas”.

O presidente fez vários questionamentos: “que  terr*** é esse? O que ele acha que é? Quem são os checadores? Por que só um lado é acusado de cometer crimes? Por que páginas são desmonetizadas? Por que o TSE cassou um deputado estadual? Quem esses dois pensam que são?”. Bolsonaro questionou as medidas drásticas que vêm sendo tomadas por membros daquele tribunal e afirmou que estão cassando liberdades democráticas porque têm seu candidato. O presidente disse: “nós sabemos o que acontece no Brasil. Na mão grande, isso não pode prosperar”. 

O presidente afirmou que o “lado bom” seria o fato dos cidadãos tomarem conhecimento de como funciona uma ditadura. Ele disse: “o povo sentiu o peso pesado que é uma ditadura”. O presidente lembrou que a liberdade de expressão dos cidadãos foi cassada, assim como o mandato de um deputado estadual, e apontou: “de bom, o que fica pra gente é conhecer essas pessoas. Eu digo: quem se eleger este ano indica dois ministros para o STF”. O presidente disse ainda: “Essa medida do Barroso - isso não cola, pô. É desespero. Eu não posso acusar você de um crime sem o mínimo de indícios”. O presidente acrescentou: “lamento essa matéria do sr. ministro Barroso com essas ameaças. Ninguém é dono da verdade e ninguém pode ter esse poder que ele acha que tem. Jogo dentro das quatro linhas e não posso admitir qualquer jogo fora das quatro linhas da Constituição”. 

Há quase 10 anos, a Folha Política atua noticiando fatos, discursos, argumentos e denúncias que são obliteradas pela velha imprensa. Nosso veículo de imprensa dá voz às vozes conservadoras, ao anticomunismo, à defesa dos direitos fundamentais e da liberdade de expressão e de imprensa, além de trazer ao público os vídeos dos pronunciamentos de autoridades para que o público possa formar sua própria opinião sobre o que foi dito e não precise depender de relatos de terceiros. 

Quem controla a informação controla, em última instância, a realidade. Grupos monopolísticos e cartéis que se associam com o intuito de barrar informações contrárias ou inconvenientes atuam em conluio com a finalidade de aniquilar qualquer mídia independente, eliminando o contraditório e a possibilidade de um debate público amplo, honesto, abrangendo todos os feixes e singularidades dos mais diversos espectros políticos. Controlando as informações, o cartel midiático brasileiro tenta excluir do debate e, em última instância, da vida pública, os conservadores e os veículos que dão voz a essas pessoas. 

A renda da Folha Política está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com respaldo e apoio de Luís Roberto Barroso, ministro do STF e do TSE. A decisão confisca, de forma indiscriminada, todas as receitas advindas do Youtube, indicando claramente que a intenção não é a de excluir conteúdos específicos, mas sim de calar o canal e eliminar a empresa. 

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há quase 10 anos, a Folha Política vem mostrando a realidade da política brasileira e quebrando barreiras do monopólio da informação. Com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...