quarta-feira, 5 de janeiro de 2022

Bolsonaro rebate pergunta desonesta da velha imprensa sobre tratamento e aponta: ‘é uma agressão aos médicos’


Após receber alta do hospital, o presidente Jair Bolsonaro concedeu uma entrevista coletiva à velha imprensa, quando a equipe explicou o que aconteceu com o presidente e quais foram os procedimentos adotados. O cirurgião dr. Antonio Luiz de Macedo explicou que o presidente ainda sofre as consequências do ataque por um militante de extrema-esquerda na campanha eleitoral. 

O presidente respondeu a uma repórter da velha imprensa que sugeriu que o ataque poderia ser falso, explicando que a sugestão é uma agressão ao dr. Macedo e aos médicos que o atenderam em Juiz de Fora. O presidente também rebateu as acusações de que estaria fazendo uso político da própria doença, e falou sobre o ataque que quase o matou. 

O presidente lembrou que, assim que o militante que o atacou foi preso, já havia quatro advogados disponíveis para ele, e um desses advogados chegou a declarar que era pago por órgãos de imprensa. Bolsonaro lembrou que a investigação foi reaberta, com um novo delegado, e o celular desse advogado agora será acessado. O presidente afirmou: “vai chegar em gente importante”. O presidente lembrou que há indícios de que Adélio não agiu sozinho e que poderia estar sendo financiado em suas viagens. 

O presidente também respondeu a questionamentos sobre os gastos em suas viagens, lembrando que os custos de segurança são altos porque seus adversários políticos têm um histórico de uso de violência. 

Há quase 10 anos, a Folha Política atua noticiando fatos, discursos, argumentos e denúncias que são obliteradas pela velha imprensa. Nosso veículo de imprensa dá voz às vozes conservadoras, ao anticomunismo, à defesa dos direitos fundamentais e da liberdade de expressão e de imprensa, além de trazer ao público os vídeos dos pronunciamentos de autoridades para que o público possa formar sua própria opinião sobre o que foi dito e não precise depender de relatos de terceiros. 

Quem controla a informação controla, em última instância, a realidade. Grupos monopolísticos e cartéis que se associam com o intuito de barrar informações contrárias ou inconvenientes atuam em conluio com a finalidade de aniquilar qualquer mídia independente, eliminando o contraditório e a possibilidade de um debate público amplo, honesto, abrangendo todos os feixes e singularidades dos mais diversos espectros políticos. Controlando as informações, o cartel midiático brasileiro tenta excluir do debate e, em última instância, da vida pública, os conservadores e os veículos que dão voz a essas pessoas. 

A renda da Folha Política está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com respaldo e apoio de Luís Roberto Barroso, ministro do STF e presidente do TSE. A decisão confisca, de forma indiscriminada, todas as receitas advindas do Youtube, indicando claramente que a intenção não é a de excluir conteúdos específicos, mas sim de calar o canal e eliminar a empresa. 

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há quase 10 anos, a Folha Política vem mostrando a realidade da política brasileira e quebrando barreiras do monopólio da informação. Com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...