sábado, 22 de janeiro de 2022

Senador Plínio Valério se exalta com pedido de nova CPI: ‘a de dois meses atrás não valeu? Foi de brincadeira?’


O senador Plínio Valério afirmou, pelas redes sociais, que não pretende assinar o pedido do senador Randolfe Rodrigues para reeditar a CPI da pandemia, que também ficou conhecida como “CPI do Circo”, “CPI da Cortina de Fumaça” e “Tribunal de Renan Calheiros”. Plínio Valério apontou que o Senado tem diversos temas importantes que precisam ser discutidos e estão atrasados. 

O senador lembrou ainda que tem um pedido de CPI, que não foi instalada, e afirmou esperar que o Supremo Tribunal Federal não volte a interferir nos trabalhos do Legislativo. Plínio Valério disse: “E eu tenho o pedido da CPI das ONGs, pronto para ser instalada, quando foi atropelada pelo ministro Barroso. Eu espero, sinceramente, que o senador não recorra novamente ao ministro Barroso, porque ele é capaz de, nessa loucura dele, de dar esse pedido e mandar instalar, e vai atropelar a CPI das ONGs. Aí eu já não posso mais assistir a isso passivamente”. 

O senador questionou: “Eu acho que uma CPI da Covid agora… isso quer dizer o quê? que a que teve lá atrás não valeu? A de dois meses atrás foi de brincadeira? Não valeu?”.

Segundo a Constituição Federal, o controle dos atos de ministros do Supremo Tribunal Federal é realizado pelo Senado, que pode promover o impeachment dos ministros em caso de crime de responsabilidade. No entanto, os presidentes da Casa vêm barrando a tramitação dos pedidos, sem consulta ao colegiado. Sem controle externo, alguns ministros do Supremo agem ao arrepio da Constituição. 

Em inquéritos secretos, o ministro Alexandre de Moraes, por exemplo, promove uma perseguição a adversários políticos. Em um desses inquéritos, a Folha Política teve sua sede invadida e todos os seus equipamentos apreendidos, inclusive celulares e tablets dos sócios e seus filhos. O inquérito foi arquivado por falta de indícios de crimes, mas os dados sigilosos foram compartilhados com outros inquéritos e com a CPI da pandemia, que compartilha dados sigilosos com a velha imprensa. 

Mais recentemente, o ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, confiscou toda a renda da Folha Política e de outros sites e canais conservadores, para impedir suas atividades. A decisão teve o aplauso e respaldo do ministro Luís Roberto Barroso, do STF e do TSE. 

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a impedir o fechamento do jornal, doe qualquer valor através do Pix, utilizando o QR Code que está visível na tela ou o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há quase 10 anos, a Folha Política vem mostrando os fatos da política brasileira e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer calar. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...