quinta-feira, 3 de fevereiro de 2022

Bolsonaro aponta delação de doleiro, retruca Rede Globo, alerta para tirania na América do Sul e detona Lula


Em Porto Velho, Rondônia, o presidente Jair Bolsonaro concedeu uma entrevista coletiva pouco antes de receber o presidente do Peru, Pedro Castilho. O presidente falou sobre os interesses comuns dos dois países, além da importância do relacionamento entre países da América do Sul, com a possibilidade de criar uma saída para o Oceano Pacífico. 

O presidente apontou que cada povo é responsável pelas suas escolhas, em qualquer lugar do mundo. E explicou que algumas experiências na América do Sul devem servir de alerta aos outros povos da região. O presidente disse: “nós queremos a América do Sul livre, com liberdade de expressão e liberdade de imprensa para todos aqui”. 

O presidente reiterou sua fala de ontem na abertura do Congresso, apontando que jamais irá pedir a censura da imprensa ou das redes sociais, nem agir contra a liberdade dos cidadãos ou para desfazer reformas. 

O presidente afirmou que já planeja sua reforma ministerial, tendo em vista que 11 ministros devem disputar as eleições e precisam ser substituídos. Bolsonaro disse que os novos ministros serão anunciados no dia 31 de março e acrescentou: “Da minha parte, vocês só vão saber via Diário Oficial da União”. 

Bolsonaro lembrou a roubalheira dos governos petistas e o mau uso dos recursos públicos. O presidente ironizou: “parabéns ao PT pelo metrô de Caracas, pelo porto de Mariel, que vão pagar em charutos pra nós….”. Ele comparou: “aqui, começavam a obra, dava propina para todo mundo, depois abandona”. 

O presidente rebateu a rede Globo, dizendo que a emissora convidou um senador para apresentar histórias sobre os cartões corporativos porque a emissora não teria coragem de “botar o peito”’. Bolsonaro lembrou relatos do doleiro Tacla Duran, dizendo: “Tacla Duran - falou que entregava, mensalmente, para a família Marinho, uma coisa fantástica. Foi mais de um bilhão de reais para a família Marinho, ao longo de vários anos. Isso é corrupção! Para ajudar o PT a fazer propaganda do governo”. 

Este vídeo mostra o presidente da República, eleito democraticamente pelo povo brasileiro, em entrevista à velha imprensa. A renda deste vídeo e de todos os outros da Folha Política está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, com respaldo e apoio de Luís Roberto Barroso, ministro do STF e presidente do TSE. O ministro decidiu, de forma monocrática e em um inquérito administrativo, confiscar toda a renda da empresa, a pretexto de impedir a divulgação de discursos que não lhe agradam. Sem a renda, a empresa em breve não poderá mais manter sua estrutura em funcionamento, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há quase 10 anos, a Folha Política vem mostrando a realidade da política brasileira e quebrando barreiras do monopólio da informação. Com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...