quinta-feira, 17 de fevereiro de 2022

Bolsonaro fala sobre censura imposta por ministros do STF: ‘A mensagem, clara, que fica é que eles têm um partido político’


Em entrevista concedida a uma emissora brasileira e transmitida por suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro respondeu à comentarista Ana Paula Henkel, que o questionou sobre a censura a seus apoiadores e sobre as tentativas de censurar o próprio presidente da República. 

Henkel perguntou sobre o processo que pede a censura do aplicativo do presidente, e Bolsonaro respondeu: “É uma forçação de barra a tentativa de banir pessoas nessa plataforma. Olha só: no final do ano passado, eu entrei com uma Medida Provisória no parlamento, copiando dispositivos da nossa Constituição. O Senado devolveu a Medida Provisória. É inacreditável. Nós não precisamos de leis para garantir a liberdade de expressão. Está garantida na própria Constituição”.

O presidente lembrou que a atribuição de zelar pelo cumprimento da Constituição é do Supremo Tribunal Federal, mas apontou que parte dos ministros vem fazendo o contrário. Bolsonaro disse: “Quem tem a obrigação de garantir o cumprimento da Constituição? Não é o presidente da República. Todos nós temos obrigação, obviamente, de zelar pela Constituição, mas quem é o “guardião”? O poder que deve zelar pelo fiel cumprimento da Constituição é o Supremo Tribunal Federal. E nós vemos que é exatamente alguns do Supremo, uma minoria do Supremo, que agem na contramão da nossa Constituição”.  

Bolsonaro explicou: “A mensagem clara que fica é que eles têm um partido político. Eles não querem o Bolsonaro lá e querem um outro, que esteve há pouco tempo no xadrez, no xilindró. Lamentavelmente, é essa a ideia que acontece”.  O presidente acrescentou: “Alguns acham que, por estar naquela função, todo mundo está ali dizendo amém para ele, acreditando em tudo que ele fala. Não é assim. Nós somos humanos, todos erramos”. 

O presidente alertou sobre a situação de outros países na América do Sul e afirmou: “Tem certas coisas que, depois que acontecem, não volta mais à normalidade. Nós não queremos isso para nós”. Bolsonaro desabafou sobre todas as ações feitas pelo governo federal que não são devidamente divulgadas pela velha imprensa. 

A Constituição Federal determina, em seu art. 5º, inciso LIV, que “ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal”. No entanto, o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, mandou confiscar, em decisão monocrática em inquérito administrativo, a renda de canais e sites conservadores, como de Bárbara, do canal Te Atualizei, e da Folha Política. 

A decisão do ministro, que recebeu o respaldo e o apoio do então presidente do TSE e ministro do STF Luís Roberto Barroso, confisca toda a renda dos canais, sem qualquer distinção segundo o tipo de conteúdo, o tema, a época de publicação ou qualquer outro critério. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode nos ajudar a manter o jornal funcionando, doe através do QR Code que aparece na tela, ou utilizando o código Pix ajude@folhapolitica.org. Caso não use Pix, a conta da empresa Raposo Fernandes está disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo. Há quase 10 anos, a Folha Política vem enfrentando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...